Logo Observador
Gwyneth Paltrow

Gwyneth Paltrow dá conselhos sobre sexo anal no seu site

271

Gwyneth Paltrow voltou a gerar polémica nas redes sociais. A atriz fez esta sexta feira uma publicação no seu site sobre sexo anal em que entrevista o psicanalista Paul Joannides.

Pornografia, riscos associados, dicas e até o que os pais devem dizer aos filhos

Theo Wargo/NBC

Falar de sexo não é tabu nem novidade para Gwyneth Paltrow, sobretudo desde que a atriz criou o Goop, um site de lifestyle. A popularidade do site tem crescido e, desta vez, o motivo de alvoroço foi uma publicação que fez sobre sexo anal. Pornografia, riscos associados, dicas e até o que os pais devem dizer aos filhos. A atriz fala de tudo um pouco.

“Se o sexo anal o excita, não está sozinho”. Gwyneth Paltrow está tão certa disso como assegura que o sexo anal é um comportamento sexual de risco. Por isso, convidou o psicanalista Paul Joannides para uma entrevista, um verdadeiro guia para um “sexo anal mais seguro e com mais prazer”. O especialista não deixa de abordar alguns riscos do sexo anal ou não fosse autor de The Guide to Getting it On!, um livro de sucesso sobre o tema e que é usado em várias universidades.

“Vaporizar” a vagina? Gwyneth Paltrow diz que sim

No seu texto introdutório, Gwyneth Paltrow começa por alertar que, se o sexo anal em tempos era um choque, agora tornou-se mais comum. Paul Joannides concorda com a atriz: “Nos anos 80, lembro-me de ouvir um amigo dizer que tinha um filme de pornografia de sexo anal. Na altura, era chocante.” Ainda assim continua a ser um tabu. “Ocasionalmente, uma vez por ano, ouvimos uma mulher a dizer que faz sexo vaginal tantas vezes quanto sexo anal, mas não é frequente.”, reflete o psicanalista.

A pornografia até ajudou a aceitação desta prática sexual pela sociedade mas não a representa realisticamente, diz: “Não mostram comunicação, feedback ou confiança”, aponta. Isso deixa homens e mulheres com dúvidas sobre o assunto, até no campo familiar. Sabe o que dizer aos seus filhos sobre sexo anal? Paul Joannides acha que não se deve dizer nada: “Há coisas mais importantes que precisam de ser faladas primeiro”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

A estranha geração dos adultos mimados

Ruth Manus

O fato de termos sido criados com cuidado e afeto pelos nossos pais, começou a confundir-se com uma espécie de sensação de que todos devem nos tratar como eles nos trataram.