Beleza e Bem Estar

5 razões para usar óleo de argão na pele (e não só no cabelo)

151

É dos ingredientes mais procurados no mundo da cosmética e é de tal forma nutritivo que, no seu país de origem, as cabras sobem às árvores para o comer. Na pele, hidrata intensamente e rejuvenesce.

Autor
  • Helena Magalhães

O óleo de argão não é novo. Na verdade, já é usado nos produtos de cabelo há muito tempo graças às suas propriedades hidratantes. Mas, gradualmente, tem vindo a dar o salto para os cuidados de pele e são cada vez mais as marcas a explorar os seus benefícios nas gamas de rosto e corpo. Nos últimos anos, com a popularidade dos óleos faciais de beleza, o óleo de argão tornou-se ainda mais procurado e, como lembra o The Guardian, passou de um ingrediente natural proveniente da Floresta de Argan, em Marrocos, para um dos óleos mais premiados (e procurados) no mundo.

Produzido a partir dos grãos encontrados dentro da noz de argão (que, por sua vez, se encontra dentro do fruto das árvores de argão), é um ingrediente tão nutritivo que, em Marrocos, as cabras sobem às árvores para o comer. O que é que o torna este óleo tão especial? É rico em vitaminas A, D e E, antioxidantes e contém níveis elevados de ácidos graxos essenciais (as gorduras “boas” e que o nosso corpo não consegue produzir), como Ómega 6, ou seja, é um potente ingrediente anti-envelhecimento.

Cabras a comer os frutos de argão em Marrocos. (foto: Fadel Senna/AFP/Getty Images)

Se ainda tem dúvidas quanto a usar óleo de argão na pele, conheça alguns dos benefícios deste ingrediente:

É um poderoso tratamento de pele

Anti-envelhecimento

Tradicionalmente, este ingrediente já é usado há muitos anos no tratamento de problemas de pele como acne e manchas. Consegue perceber-se, assim, por que razão o mercado da cosmética o tornou um ingrediente “rei”: promove a regeneração celular, melhora acne, cicatrizes, manchas e a elasticidade da pele.

É um hidratante potente

Para todos os tipos de pele

Até mesmo as peles mais secas vão ver melhorias com este óleo. Inclusivamente as áreas críticas do corpo (como os pés e as pernas). O óleo de argão não só consegue selar a hidratação mas também protege a pele dos radicais livres, tornando-se também poderoso na nutrição da pele sensível.

Pode ser usado em pele oleosa

Não deixa resíduos

Não é preciso ter medo: o óleo de argão é absorvido rapidamente e não deixa resíduos. E mais: consegue equilibrar a produção do próprio óleo natural da pele (daí ser potente no tratamento de acne).

É o melhor amigo das grávidas

Reduz e melhora as estrias

As suas propriedades hidratantes são tão poderosas que consegue reduzir e melhorar estrias e outras marcas de elasticidade. Após o parto, pode ser esfregado diariamente na pele em qualquer zona problemática (como barriga e coxas).

Pode ser usado de dia e de noite

É rapidamente absorvido

A revista Marie Claire explica que o óleo de argão é leve o suficiente para ser usado como um creme de dia mas, ao mesmo tempo, é de tal forma hidratante que também pode ser usado como tratamento noturno. Graças à sua rápida absorção não é necessário esperar que penetre na pele para se deitar na almofada.

Na fotogaleria, em cima, reunimos um conjunto de produtos — de rosto, corpo e até maquilhagem — à base de óleo de argão. Provavelmente já conhecia alguns mas não sabia que continham este ingrediente tão milagroso. Mostramos também algumas novidades como o Body Lotion & Oil de Nivea e deixamos a informação: estão para chegar ao mercado o primeiro gel de banho Ultra Suave de Garnier em 10 fórmulas diferentes (uma com óleo de argão) e o Strobing Highlighting Stick de Black Up (em exclusivo nas lojas Perfumes & Companhia), um iluminador em stick que hidrata graças aos seus extratos de óleo de argão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Catalunha

Em defesa da honra de Espanha

Iñaki Carrera Y Araujo

O movimento independentista catalão não é democrático e isso ficou bem demonstrado neste referendo que foi aprovado por uma lei que viola a Constituição e o próprio Estatuto de Autonomia da Catalunha.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site