Logo Observador
Espionagem

Interferência nas presidenciais. Espanha prende informático russo por ordem dos Estados Unidos

114

Perito em computadores foi detido em Barcelona, em cumprimento de mandado internacional emitido pelos Estados Unidos. Será suspeito de interferências na campanha presidencial americana.

Getty Images

Um programador de computador russo, Pyotr Levashov, foi detido na cidade espanhola de Barcelona. A informação foi avançada à agência Reuters este domingo por um porta-voz da embaixada russa em Madrid.

A estação de televisão russa RT adianta que Levashov era suspeito de ter estado envolvido em ataques informáticos ligados à alegada interferência de espiões russos nas eleições presidenciais americanas. O especialista em informática foi detido ao abrigo de um mandado de prisão internacional emitido pelos Estados Unidos, avança a estação russa que cita a polícia espanhola.

O porta-voz da embaixada não revelou as razões por trás desta detenção que foi comunicada à representação diplomática russa na passada sexta-feira. O Governo americano acusou formalmente a Rússia de ataques informáticos aos mails do Partido Democrata com o objetivo de ajudar a campanha presidencial de Donald Trump. O congresso norte-americano vai também investigar as ligações entre a Rússia e a campanha para as eleições presidenciais.

As interferências russas e a tentativa de influenciar os resultados eleitorais foram sempre desmentidas por fontes oficiais russas e pelo próprio presidente Vladimir Putin. No entanto, já em janeiro a polícia espanholas tinha prendido um outro informático russo, a quem foi dado o nome de Lisov, também em cumprimento de um mandado internacional americano.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: asuspiro@observador.pt