Logo Observador
Amor e Sexo

Dia do Beijo. 24 beijos com História, do Homem-Aranha a Judas

144

Ajuda a perder calorias, melhora o sistema imunitário e exercita os músculos. O Dia do Beijo, esse gesto a que apenas 10% das culturas não acede, celebra-se esta quinta-feira. Estes 24 são especiais.

IMDB

Esta quinta-feira é noite de jantar almôndegas com esparguete nas traseiras de um restaurante como Dama e Vagabundo e ouvir “Kiss” do Prince. O Dia do Beijo celebra-se a 13 de abril e os motivos para a festa são muitos. Um beijo ajuda a perder calorias e obriga a mover 29 músculos do corpo humano. Pode ser algo estranho se pensarmos que a saliva da outra pessoa permanece na sua boca durante três dias após o beijo, mas daí também vêm vantagens: as 250 bactérias trocadas durante um beijo podem estimular o sistema imunitário. Os prós sobrepõem-se aos contras: um ser humano troca, em média, cerca de 24 mil beijos. Entre um e outro, desde os beijos maternais aos apaixonados, os batimentos cardíacos podem aumentar de 74 para 150.

Neste mundo inundado de oxitocinas, o neurotransmissor que nos dá a sensação de bem estar, o beijo tem mais História associada do que aquele que trocou de modo fugaz nas traseiras da escola. Na fotogaleria em cima vai encontrar os beijos mais memoráveis retratados no cinema, na política, no desporto e até na religião. Lá pode encontrar os clássicos de Walt Disney, os beijos que todos os casais querem imitar e os outros, que selam a paz… ou a guerra. Há 24 beijos obrigatórios. Conheça as suas histórias lá em cima.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt