Logo Observador
Presidenciais em França

Fillon e Mélenchon mais próximos de Le Pen e Macron nas presidenciais francesas

A última sondagem do Instituto Opinion Way mostra que François Fillon e Jean-Luc Mélenchon estão a aproximar-se dos dois favoritos para a segunda volta, Marine Le Pen e Emmanuel Macron.

A sondagem foi realizada com base numa amostra de 2.168 pessoas inscritas nos cadernos eleitorais

JULIEN WARNAND/EPA

O candidato conservador às presidenciais francesas, François Fillon, e o candidato da extrema-esquerda Jean-Luc Mélenchon aproximaram-se ainda mais dos favoritos para a segunda volta, Marine Le Pen (extrema-direita) e Emmanuel Macron (centro), de acordo com o cenário traçado pelo Instituto Opinion Way, numa sondagem publicada esta terça-feira.

De acordo com o Instituto Opinion Way, se a primeira volta das eleições, que se realizam no próximo domingo, tivesse sido na segunda-feira, Le Pen teria obtido 22% dos votos, menos um ponto percentual do que o indicado na anterior sondagem, de dia 14 de abril. Macron também teria conquistado 22%, a mesma percentagem que o instituto de sondagens atribuiu ao ex-ministro da Economia na sexta-feira da semana passada.

Fillon, por seu turno, teria melhorado um ponto, alcançando os 21%, e Mélenchon teria avançado também um ponto, até aos 18%. O socialista Benoît Macron retrocederia um ponto até aos 8%.

Em relação à segunda volta, programada para 7 de março, se Macron e Le Pen a disputarem, o primeiro ganhará com 64% dos votos — mais dois pontos do que o previsto na sondagem de dia 14. A candidata da extrema-direita baixará assim dois pontos, ficando com 36%. Na hipótese de Fillon passar à segunda volta com Le Pen, o líder conservador vencerá com 60% (mais dois pontos), contra os 40% de Le Pen (menos dois pontos).

A sondagem foi realizada com base numa amostra de 2.168 pessoas inscritas nos cadernos eleitorais, a partir de um grupo representativo da população francesa, com mais de 18 anos, constituído através de um método de quotas que tem em conta o sexo, a idade, categoria profissional, zona de residência, entre outros fatores. As entrevistas foram feitas com o sistema CAWI (Computer Assisted Web Interview) a 14, 15 e 16 de abril.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

De Trump a Macron, do populismo ao elitismo

Rui Ramos

Quando vão aparecer as imitações de Macron? Muita gente já se deve andar a ver ao espelho, a confirmar que tem o cabelo e o sorriso certos. No Porto, o divórcio municipal já foi atribuído a Macron  

Presidenciais em França

O anjo

Maria João Avillez

Emmanuel Macron sabe ao pormenor o que está a fazer: encarnar num mito. Um misto de pai, chefe, condutor do povo, inspirador das massas. Emmanuel quer dizer Deus connosco. Pode ser perigoso.

Terrorismo

Um homem, um gesto

Laurinda Alves

Fernando Álvarez fez sozinho o minuto de silêncio e humanamente ganhou em toda a linha. Harry Athwal, que permaneceu ajoelhado ao lado do rapazinho, deu um testemunho admirável de coragem e humanidade

Terrorismo

Um homem, um gesto

Laurinda Alves

Fernando Álvarez fez sozinho o minuto de silêncio e humanamente ganhou em toda a linha. Harry Athwal, que permaneceu ajoelhado ao lado do rapazinho, deu um testemunho admirável de coragem e humanidade