Logo Observador
Dietas

Maçã ou ampulheta? Como escolher o plano alimentar consoante o tipo de corpo

196

Tem as ancas largas? Barriga? Ombros largos? Formas pouco firmes? Com a ajuda do livro "Plano Barriga Lisa", de Traci D. Mitchell, explicamos qual o plano alimentar mais adequado ao seu tipo de corpo.

Existem quatro tipos de corpo referenciados: maçã, pera, pirâmide invertida e ampulheta.

Maria Gralheiro

Traci D. Mitchell é considerada uma das maiores especialistas norte-americanas em perda de peso. Ao contrário dos seus colegas da área de nutrição, emagrecimento e boa forma, defende que as dietas alimentares dependem do tipo de corpo que se tem. “Não existe uma abordagem-padrão para perder peso que se adeque a todos os tipos de corpo”, escreve a mestre em Educação para a Nutrição no novo livro Plano Barriga Lisa. Segundo a autora, “o seu corpo acumula gordura de maneira diferente do corpo de outras pessoas e adquire por isso uma forma diferente”. Isto é, o aspeto de uma maçã, pera, pirâmide invertida ou ampulheta. Logo, deve seguir um plano alimentar específico para o seu tipo corporal.

Este Plano Barriga Lisa tem como principal propósito facilitar a perda de peso e promover a sensação de bem-estar para cada um dos quatro tipos de corpo referenciados”, diz a autora na nova obra que ainda inclui 65 receitas práticas.

O livro foi publicado pela Editorial Presença e custa 18,9€.

Com a ajuda das ilustrações do Observador, conheça o plano alimentar (e os alimentos) mais adequados a cada tipo de corpo e que, segundo a autora, vai promover a eliminação de gordura sobretudo ao nível das coxas, ombros, ancas e zona inferior da região abdominal.

Maçã

O tipo de corpo maçã tem tendência para concentrar na zona da barriga todo o seu peso devido ao excesso de gordura visceral. “Em geral, as pernas e os braços do tipo maçã são relativamente magros, sem muito peso a mais”, escreve Traci D. Mitchell no Plano Barriga Lisa. A gordura abdominal que se encontra em profundidade na região da cintura é mais fácil de eliminar se seguir um plano alimentar constituído por proteínas e gordura saudável.

A comer: proteína magra, onde estão incluídos o frango, a carne de vaca magra e sem gordura, o porco e o peixe; gorduras saudáveis — incluindo ovos, abacate, frutos secos, sementes, manteiga vegetal, óleo de coco, azeite e queijos gordos — e folhas verdes como espinafres, couve e alface-romana.
A limitar: hidratos de carbono ricos em amido a uma refeição por dia e fruta com baixo teor de glicémia.
A eliminar: café ou bebidas com cafeína (podem favorecer a secreção de cortisol e insulina) e hidratos de carbono refinados e açucarados como as bebidas desportivas e barras energéticas.

Entre os alimentos mais apreciados pelo tipo de corpo maçã estão o pão e as massas, além dos refrigerantes dietéticos e da cafeína. E de que maneira este tipo de corpo responde a uma dieta pobre? “Com uma baixa de energia e acessos de fome, em particular ao meio da manhã e a seguir ao almoço”, adianta a especialista em perda de peso.

Pera

“Este tipo de corpo, exclusivo das mulheres, tem tendência para acumular o peso na zona das ancas e das coxas, e muitas vezes também no pequeno ‘monte’ na parte baixa do abdómen (trata-se de gordura subcutânea, que não deve ser confundida com gordura visceral)”, explica Traci D. Mitchell. As mulheres com um tipo de corpo pera podem sentir-se frustradas em termos de perda de peso, uma vez que a gordura subcutânea das ancas e das coxas é mais difícil de mobilizar. “É muito provável que as mulheres com este tipo de corpo registem um predomínio de estrogénios por isso devem ingerir alimentos que ajudem a drenar o estrogénio e eliminar os alimentos que o mimetizam e o elevam de forma excessiva. Só assim este tipo de corpo perderá peso”, aconselha a autora.

A comer: frutas e legumes ricos em fibra; quantidades saudáveis de aveia, quinoa, trigo-sarraceno e arroz integral; quantidades menores de gorduras magras (excluindo a dos produtos lácteos, com preferência para o óleo de coco, os ovos e o azeite).
A eliminar: produtos lácteos convencionais ricos em gordura, incluindo os queijos, as natas e os molhos; fruta e legumes convencionais ou carnes que contenham pesticidas ou hormonas; cafeína e álcool e soja não-fermentada (incluindo tofu e edamame).

Normalmente, este tipo de corpo aprecia produtos lácteos ricos em gordura, como queijo-creme, lattes e sobremesas ricas. Se seguir uma dieta pobre é provável que sinta uma fome invulgar tanto entre refeições como ao final da noite, depois do jantar.

Pirâmide invertida

Tendencialmente, este tipo de corpo apresenta a forma de uma pirâmide invertida, em que os ombros são mais largos e o tronco afunila à medida que se vai aproximando da cintura e das ancas. Segundo Traci D. Mitchell, “este tipo de corpo apresenta um pouco de massa muscular na parte superior, mas também é propenso a acumular mais gordura na zona do peito, na parte de trás dos braços e por cima da linha do sutiã, no caso das mulheres”.

A comer: hidratos de carbono complexos (aveia, arroz integral e trigo-sarraceno); produtos lácteos com baixo teor de gordura, onde se incluem o iogurte natural, o queijo cottage e o quefir; generosas quantidades de sumos vegetais frescos, vegetais de folha verde e frutos ricos em fibra como os frutos silvestres.
A eliminar: carnes pesadas (hambúrgueres gordos e as carnes escuras de aves); queijos gordos e pesados; snacks salgados; barras e bebidas de proteína; bebidas com cafeína.

Se tem este tipo de corpo é provável que aprecie alimentos salgados, gordos e fast-food. É frequente este tipo de corpo também ansiar por bebidas alcoólicas. Por isso, não estranhe se “ao longo do dia, ao perder a vitalidade inicial, acaba por sucumbir aos acessos de fome”, avisa a profissional de renome na área de nutrição, emagrecimento e boa forma.

Ampulheta

De acordo com a especialista Traci D. Mitchell,” é comum este tipo de corpo ganhar peso de uma maneira uniforme em todo o corpo, apesar de isso ser mais notório no rosto, mas também nos braços, no peito, nos joelhos e nos tornozelos”. A ampulheta caracteriza-se, no fundo, por formas pouco firmes e roliças.

A comer: frutas e vegetais crus, entre os quais quantidades consideráveis de salada; cereais integrais (aveia, quinoa e trigo-sarraceno); uma dose diária de proteína magra (ovos, carne de frango magra e peixes de carne branca como o bacalhau, alabote e a tilápia); quantidades generosas de especiarias (canela, cominhos, curcuma e caril).
A limitar: carnes muito gordas; hidratos de carbono refinados e processados, entre os quais se incluem as bolachas, biscoitos, arroz branco e massas.
A eliminar: bebidas com cafeína; produtos lácteos; hidratos de carbono refinados e doces como gelados.

Entre os alimentos mais apreciados pelo tipo de corpo ampulheta estão os produtos lácteos, como gelado e queijo, mas também hidratos de carbono refinados e açucarados, do tipo doces e produtos de pastelaria. Como consequência, o corpo responde com retenção de líquidos e congestões de vária ordem.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ssilva@observador.pt