Logo Observador
Poesia

Helder Moura Pereira vence Grande Prémio de Poesia da APE

165

O escritor Helder Moura Pereira venceu o Grande Prémio de Poesia, da Associação Portuguesa de Escritores (APE), com a obra "Golpe de Teatro". Anúncio foi feito esta quarta-feira.

Autor
  • Agência Lusa

O escritor Helder Moura Pereira venceu o Grande Prémio de Poesia, da Associação Portuguesa de Escritores (APE), com a obra “Golpe de Teatro”, foi anunciado esta quarta-feira. “Golpe de Teatro”, editado pela Assírio & Alvim, “é um livro que culmina um percurso poético longo e consistente. Trata-se de uma poesia enraizada nos detalhes da experiência comum e enriquecida por uma cativante energia imagéticos”, afirma o júri na ata.

Helder Moura Pereira, 68 anos, escritor e tradutor, soma vários prémios literários, entre os quais o Prémio de Poesia Luís Miguel Nava e o Prémio de Literatura Casa da América Latina/Banif.

O júri, que atribuiu o Grande Prémio de Poesia por unanimidade, integrou Cândido Oliveira Martins, Isabel Pires de Lima e Manuel Frias Martins. O Grande Prémio de Poesia António Feijó, no valor de dez mil euros, é atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores em parceria com a autarquia de Ponte de Lima.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Venezuela

O drama da comunidade portuguesa na Venezuela

Daniel Bastos

A falta de segurança e o caminho que a Venezuela parece seguir rumo ao abismo estão a levar muitos emigrantes a regressarem para Portugal, sendo já notório que há cada vez mais a voltarem à Madeira.

Família

Guerra e Paz

Margarida Alvim

Há muitas famílias assim. Conjuntos de pessoas que vivem debaixo do mesmo tecto. Os pais sabem de todos, mas cada irmão sabe de si. A razão só pode ser uma: falta de confiança. E falta de amizade.

Catolicismo

Medjugorje: solução à vista?

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Para um cristão a investigação sobre as supostas aparições de Medjugorge faz sentido, pois deve conhecer a solidez das suas convicções e estar preparado para responder a quem lhe pedir razão da espera