Logo Observador
Governo

Governo e parceiros sociais discutem esta sexta-feira o Programa Nacional de Reformas

O Governo e os parceiros sociais reúnem-se esta sexta-feira no âmbito da Concertação Social para discutir o Programa Nacional de Reformas. Encontro foi convocado pelo ministro do Trabalho.

A reunião plenária tem como ponto único na ordem de trabalhos a apresentação do Programa Nacional de Reformas

MÁRIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Governo e os parceiros sociais reúnem-se esta sexta-feira no âmbito da Concertação Social para discutir o Programa Nacional de Reformas.

O encontro tripartido foi convocado a pedido do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, e contará com a presença do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

A reunião plenária da Comissão Permanente de Concertação Social tem como ponto único na ordem de trabalhos a apresentação do Programa Nacional de Reformas.

O Governo enviou na semana passada o Programa Nacional de Reformas ao Conselho Económico e Social (CES) para emissão de parecer, cujo projeto está a ser elaborado no âmbito da comissão especializada.

O Governo aprovou no dia 13, em Conselho de Ministros, o Programa de Estabilidade e o Programa Nacional de Reformas, que foram discutidos na quarta-feira na Assembleia da República e que têm que ser aprovados por Bruxelas.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas disse na semana passada que o Programa Nacional de Reformas “mobiliza mais de 26 mil milhões de euros e é um “programa ambicioso” que está em “perfeita sintonia com o rigor e a sustentabilidade orçamental”.

O documento aprovado pelo Governo corresponde a uma atualização do Programa Nacional de Reformas aprovado em 2016, mantendo-se a estratégia e os pilares fundamentais.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Estado de calamidade

Manuel Villaverde Cabral
1.593

Continua tudo como dantes: o país está entregue ao clientelismo governamental, dependente do crescimento externo e condenado à dívida. Esta é que é a calamidade que explica as outras calamidades.

Pedro Passos Coelho

Antirracismo: uma patologia necrófila

Gabriel Mithá Ribeiro
743

Os heróis multiplicam-se porque, como é habitual entre cobardes, o fenómeno histórico do racismo deixou de existir nas sociedades maioritariamente brancas ocidentais. É apenas um cadáver em putrefação

Terrorismo

Um homem, um gesto

Laurinda Alves

Fernando Álvarez fez sozinho o minuto de silêncio e humanamente ganhou em toda a linha. Harry Athwal, que permaneceu ajoelhado ao lado do rapazinho, deu um testemunho admirável de coragem e humanidade