Logo Observador
Escolas

Manifestação encerra centenas de escolas em todo o país

Centenas de escolas de norte a sul do país estão encerradas por causa do pré-aviso de greve emitido pelos sindicatos dos trabalhadores da função pública.

A greve anunciada tem como objetivo permitir a participação na manifestação marcada para as 14h00 desta sexta-feira, em Lisboa.

MARIO CRUZ/LUSA

Centenas de escolas de norte a sul do país estão encerradas por causa do pré-aviso de greve emitido pelos sindicatos dos trabalhadores em funções públicas para permitir a participação na manifestação marcada para esta sexta-feira em Lisboa.

Segundo disse + Artur Sequeira, da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, à Lusa a contabilização exata das escolas não está a ser feita porque o pré-aviso de greve se destina especificamente a permitir a deslocação e participação destes trabalhadores na manifestação nacional.

“Não estamos a fazer nenhuma contagem de escolas pois o pré-aviso de greve é para a deslocação. (…) Tenho a indicação de que há centenas de escolas fechadas, mas não temos uma contagem, pois não era um pré-aviso para encerrar escolas, apesar de muitas encerrarem. Os funcionários para virem à concentração têm de faltar”, explicou.

Centenas de trabalhadores não docentes são esperados nesta manifestação, que decorre a partir das 14h00 em frente ao Ministério da Educação, em Lisboa, e serve para reivindicar a integração de precários e mais funcionários nas escolas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

O Filipa e a escola pública

Maria José Melo

Portugal só será realmente um país civilizado quando existir consciência cívica por parte de todos os cidadãos. Foi esta visão que adquiri no Liceu D. Filipa de Lencastre e me acompanhou toda a vida.

Escolas

Ninguém quer resolver o problema das matrículas

Alexandre Homem Cristo
277

Não faltam exemplos internacionais de soluções para as matrículas. Só que o nosso obstáculo de raiz não é a falta de alternativas; é mesmo a falta de vontade. Como se vê, isso não mudará tão depressa.

Terrorismo

Um homem, um gesto

Laurinda Alves

Fernando Álvarez fez sozinho o minuto de silêncio e humanamente ganhou em toda a linha. Harry Athwal, que permaneceu ajoelhado ao lado do rapazinho, deu um testemunho admirável de coragem e humanidade