Logo Observador
Manifestações

Polícias contra cortes nas pensões manifestam-se lembrando “secos e molhados”

Cerca de meia centena de polícias e sindicalistas manifestaram-se contra cortes nas pensões, aproveitando o 28.º aniversário dos confrontos entre polícias na Praça do Comércio.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Cerca de meia centena de polícias e sindicalistas manifestaram-se esta quinta-feira em Lisboa contra cortes nas pensões, aproveitando o 28.º aniversário dos confrontos entre polícias na Praça do Comércio, que ficaram conhecidos como “secos e molhados”.

Os polícias, muitos deles reformados, empunharam cartazes onde se podia ler frases como “Dizemos Basta, Vencimentos Congelados, Índices Congelados” ou “50 anos de descontos, 50% de reforma”.

A manifestação, que decorreu pacificamente e sem palavras de ordem, foi organizada pelo Sindicato Independente Livre da Polícia (SILP), um dos muitos sindicatos na força de segurança.

Os reformados da PSP “estão a ser muito penalizados com os cortes nas suas reformas”, disse a presidente do SILP, Mónica Sério, que lamentou a grande diferença entre os cortes nas reformas sofridos pela PSP e pela GNR (com menores cortes). “Neste momento temos reformados da PSP a passar necessidades, levando cortes de cerca de 400 euros por mês”, assegurou.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt