Logo Observador
Acidentes e Desastres

Vinte crianças morrem em acidente com autocarro na África do Sul

Um autocarro começou a arder depois de colidir com um camião, na África do Sul. O acidente provocou a morte de vinte crianças do ensino primário e secundário.

O acidente ocorreu na estrada R25, perto de Verena, na fronteira com a província de Mpumalanga

IOL/Twitter

Vinte crianças morreram esta sexta-feira no norte de Pretória, a capital da África do Sul. O autocarro que transportava as crianças terá começado a arder depois de colidir com um camião.

A morte de 13 crianças foi declarada no local. “Assim que o fogo foi apagado, os paramédicos descobriram que aproximadamente 13 crianças ficaram presas dentro do veículo, infelizmente, nada poderia ser feito pelas crianças e foram declaradas mortas no local”, lê-se num comunicado do Departamento de Comunicação da província de Gauteng, citado na BBC.

13 mortes foram declaradas no local. O número subiu mais tarde para 17 e agora mantém-se nos 20 mortos.

De acordo com a mesma fonte, as crianças eram do ensino primário e secundário. Uma rádio de África do Sul avança que o autocarro estaria a levar as crianças para as suas casas em Mpumalanga, depois da primeira semana de aulas numa escola em Gauteng, ainda desconhecida.

Acredita-se que o motorista do autocarro subestimou a velocidade do camião e colidiu com ele enquanto mudava de direção”, lê-se no mesmo comunicado.

Não há ainda informações de que o número de mortos possa ser superior. As vinte mortes foram confirmadas pelos serviços de emergência e pelo Departamento de Educação da província de Gauteng. “O número de mortes da colisão na R25 voltou a subir e confirma-se 20 crianças”, pode ler-se no tweet do ER24.

O acidente ocorreu na estrada R25, entre Verena e Bronkhorstspruit, na fronteira com a província de Mpumalanga. Os serviços de emergência e as autoridades já se encontram no local para apurar as causas do acidente.

Panyaza Lesufi, responsável da educação na província de Gauteng, já se manifestou através do Twitter.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt