Música

Filme-concerto de The Legendary Tigerman em Lisboa a 19 de maio

O filme-concerto "How to become nothing", com banda sonora tocada ao vivo por The Legendary Tigerman, é exibido no dia 19 de maio no Espaço Nimas, em Lisboa, em duas sessões.

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O filme-concerto “How to become nothing”, com banda sonora tocada ao vivo por The Legendary Tigerman, é exibido no dia 19 de maio no Espaço Nimas, em Lisboa, em duas sessões.

O projeto teve como ponto de partida a história de um homem que se quer tornar em nada, através de uma viagem espiritual e física pelo deserto. Durante 12 dias, Paulo Furtado (The Legendary Tigerman) fez uma viagem no deserto Joshua Tree, no estado norte-americano da Califórnia, na companhia do realizador Pedro Maia e da fotógrafa Rita Lino, inspirando-se na paisagem para compor a maioria dos temas para o novo disco.

No cine-concerto, que no dia 19 de maio chega a Lisboa, a banda sonora é tocada ao vivo por Paulo Furtado e as imagens são manipuladas em tempo real por Pedro Maia.

A digressão de “How to become nothing” arrancou a 28 de janeiro, no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, e já passou por Braga (04 de fevereiro), Ovar (09 de março), Faro (11 de março), Torres Novas (01 de abril) e Fundão (14 de abril).

Antes de Lisboa, haverá uma apresentação no cinema Passos Manuel, no Porto, a 06 de maio. Depois, está já marcada a passagem do projeto pelo Seixal, a 20 de maio, no Auditório Municipal.

Este espetáculo é uma das faces de um projeto multimédia que contempla o lançamento do novo disco de The Legendary Tigerman.

“Sempre houve o pretexto de fazer discos para depois fazer filmes e exposições de fotografia. Mas começarmos pelo processo do filme e depois fazer um disco é a primeira vez que acontece”, explicou à agência Lusa Paulo Furtado, quando do arranque da digressão.

Especialmente composta para o filme, a música de “How to become nothing” “não tem nada a ver com o novo disco” de The Legendary Tigerman.

“O álbum toca este filme no momento em que o filme inspira o álbum. Mas a banda sonora foi feita ‘a posteriori’. Isto é, como se fosse um caminho para chegar ao disco, mas não tem fundamentalmente nada a ver, do ponto de vista musical”, esclareceu Paulo Furtado.

Em palco e para o filme, The Legendary Tigerman toca “música em que as pessoas vão reconhecer traços daquilo que faço”, com guitarra elétrica “e mais relacionada com o dia”.

Depois há “um lado mais eletrónico e pesado, que vai ao encontro do universo do Pedro e da Rita”, que se enquadra “com a noite e o sonho”.

O novo disco de The Legendary Tigerman sai em setembro, mas o filme, “Fade into nothing” estreia-se no festival IndieLisboa a 07 de maio.

Depois será exibido em algumas salas nacionais de cinema “e em Paris, Londres e Berlim, pelo menos”.

“How to become nothing”, sob o formato cine-concerto, foi apresentado pela primeira vez no festival Curtas de Vila do Conde, em julho do ano passado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site