Startups

Governo já executou 90% das medidas do Startup Portugal

Secretário de Estado João Vasconcelos adiantou que já foram executadas 90% das medidas do Governo para a Estratégia Nacional para o Empreendedorismo. Para a semana, são entregues os Startup Vouchers.

Paddy Cosgrave e João Vasconcelos na Surf Summit, evento que decorreu na Ericeira antes da Surf Summit

O secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, avançou esta quarta-feira que o Governo já executou 90% das medidas presentes no Startup Portugal, a estratégia nacional para o empreendedorismo lançada por António Costa no ano passado. Ao Observador, João Vasconcelos disse que está a faltar apenas o fundo de 200 milhões que o Estado português lançou – na altura da Web Summit – para poder coinvestir em empresas.

João Vasconcelos explicou que para a semana vão ser distribuídos os primeiros Startup Vouchers e que ainda este mês 120 empresas receberiam os vales de incubação. “A marca Portugal e a marca Lisboa está associada à criatividade, à inovação e muito se deve à Web Summit. Foi através da Web Summit que comunicámos esta Lisboa. Este ano, temos mais ambição e atração de investimento, de emprego qualificado. Todas as semanas recebo contactos de investidores a perguntarem-me o que se está a passar em Portugal”, disse João Vasconcelos.

As declarações foram feitas durante a apresentação do primeiro escritório da Web Summit em Lisboa, no edifício novo que a Portugal Telecom lançou para apoiar startups, o Edifício Enter, no Cais do Sodré. Para este escritório lisboeta, a Web Summit vai recrutar 20 especialistas em vendas e em desenvolvimento de software.

“Há cinco anos, foi muito importante para Lisboa o lançamento da Startup Lisboa. Ninguém sabia o que era e a PT foi a primeira grande empresa que fez parte do projeto Startup Lisboa. Acompanhou toda a evolução do empreendedorismo em Portugal. O empreendedorismo passou a ser uma coisa séria e isso também obrigou o Governo a ter uma estratégia clara para o empreendedorismo”, afirmou João Vasconcelos.

Parceira da Web Summit desde o ano passado, a empresa portuguesa foi a responsável pela instalação do Wi-Fi no pavilhão da FIL e no MEO Arena. “Provavelmente, o maior contributo que a PT deu ao empreendedorismo português foi ter colocado o Wi-Fi a funcionar na Web Summit. Foi um desafio que muitos não conseguiram”, disse, fazendo alusão ao facto de a conferência ter saído de Dublin por causa de – entre outros desafios – o governo não conseguir assegurar uma boa cobertura de banda larga.

Sobre a abertura do escritório em Lisboa, João Vasconcelos disse que serviria “para que a Web Summit se tornasse cada vez mais português”. A edição de 2016 do evento a primeira a realizar-se em Lisboa e contou com uma participação superior a 50 mil pessoas, de mais de 150 países. A edição deste ano decorre de 6 a 9 de novembro, no MEO Arena e na FIL.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site