Logo Observador
Elétricos

Patrão da AMG sem dúvidas: “Futuro será eléctrico”

Numa altura em que alguns fabricantes ainda mostram algumas reticências, Tobias Moers, o patrão da AMG, garante que não há como voltar atrás: o futuro, também nos desportivos, será eléctrico.

O GT Concept, revelado em Genebra, combinava um 4.0-V8 biturbo a gasolina com um motor eléctrico de alta performance e baterias tão leves quanto potentes, para uma potência máxima de 815 cv

Daimler AG

Autor
  • Francisco António

Com a divisão mais desportiva e exclusiva da Mercedes-Benz a preparar um superdesportivo de edição limitada desenvolvido a partir do carro de F1, tendo por base o já conhecido Project One, o chairman da Mercedes-AMG GmbH, Tobias Moers, vem agora garantir que o futuro da marca será feito não com motores térmicos, mas com propulsores híbridos e eléctricos. Sendo que o futuro desportivo de quatro portas, híbrido pug-in, que a AMG tem previsto apresentar já em Setembro, durante o Salão Automóvel de Frankfurt, será apenas a ponta do icebergue.

Recorde-se que a AMG deu a conhecer recentemente a sua nova tecnologia híbrida, denominada “EQ Power+”, que surgiu materializada num novo protótipo, o AMG GT, desvendado em Março, durante o Salão Automóvel de Genebra. Modelo do qual é já esperada uma versão de produção, em 2018, que assim se juntará à do superdesportivo, cujo arranque está previsto para o final do mesmo ano.

Segundo Moers, o GT “é o verdadeiro novo futuro, já que o superdesportivo surgirá numa versão muito limitada”. Sendo que, “com o GT concept, podemos ficar com uma ideia de como estamos a desenhar aquilo que será a performance no futuro, tendo por base as nossas plataformas standard; ou seja, aqueles que serão os nossos carros mais normais”.

Mas se, em termos de estratégia, é já certo que o GT será lançado com motor térmico, também não é menos verdade, segundo Moers, que uma versão híbrida plug-in “não estará tão distante quanto isso”. Sendo que a tecnologia rapidamente abrangerá outros modelos AMG, reconhece o mesmo responsável:

Claro que sim. A verdade é que não temos a capacidade de mudar o futuro. Temos de nos adaptar àquelas que são as novas exigências e regulamentos, as quais nos obrigam a avançar e a encontrar novas e inovadoras soluções.”

Quanto a modelos AMG exclusivamente eléctricos, o patrão da AMG assume estarem igualmente na agenda, ainda que afirme desconhecer “quando é que poderão ser vistos a circular” na estrada. “Contudo, certo é que não vamos poder mudar o futuro, pelo que isso será mesmo uma realidade“, acrescenta.

As afirmações agora proferidas por Tobias Moers ao Automotive News seguem, no fundo, o mesmo sentido das do responsável máximo da Mercedes pela divisão de Pesquisa e Desenvolvimento, Ola Källenius. Que, no início deste ano, durante o Salão Automóvel de Detroit, admitia que versões não apenas híbridas, como também eléctricas, poderem vir a fazer parte da oferta da AMG, enquanto versões mais desportivas dos futuros modelos da futuro divisão eléctrica EQ.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt