Música

À meia noite os LCD Soundsystem revelam duas canções novas

O novo álbum está quase pronto, palavra de James Murphy. Estas duas canções são a primeira amostra daquilo que aí vem. Em escuta às 00h desta sexta, "onde quer que vocês estejam", diz Murphy.

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

É simples: em qualquer fuso horário, assim que for meia noite vai ser possível ouvir as duas novas canções dos LCD Soundsystem. Primeiro na Austrália e arredores, depois a caminho do Oeste, como sucede com o tempo em geral. “Call the Police” e “American Dream” são os títulos em questão e servem de primeira amostra para o novo álbum, sucesso de This is Happening, que ainda vale toda a nossa atenção mas que já é de 2010.

É tudo verdade, assegura o patrão James Murphy, que assim escreveu no Facebook:

Além destas dois temas novos, os LCD Soundsystem asseguram que o tal novo disco está quase pronto, que faltam apenas “uma voz e duas misturas”. Palavra de gente que ainda no ano passado cancelou umas quantas datas da digressão que passou por Portugal (festival de Paredes de Coura) para tratar de assuntos urgentes em estúdio.

LCD Soundsystem: é como se nunca tivesse sido desligado

Ainda não há data para a edição do novo álbum mas vai acontecer “soon”, que é como quem diz “em breve”. Estes dois novos temas, que os LCD Soundsystem apresentaram ao vivo em abril, quando estiveram em residência no Brooklyn Steel, em Nova Iorque. E são as primeiras canções que o grupo mostra depois de “Christmas Will Break Your Heart”, de 2015.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Alemanha

Da Alemanha de Kohl à Alemanha de Merkel

Fernando Martins
108

Antes de ser a Alemanha de Angela Merkel, a actual Alemanha foi a Alemanha de Helmut Kohl, o chanceler da reunificação alemã. A história de Kohl é a melhor introdução à Alemanha de hoje. 

Autárquicas 2017

Falar de André Ventura

Alexandre Homem Cristo

Ventura está a ser sobrevalorizado – enquanto candidato e, mais ainda, enquanto intérprete de novos rumos para a direita. Um erro que, perante a tentação de leituras nacionais, será importante evitar.

Estados Unidos da América

Carta da América

João Carlos Espada

Na América, está em curso um vigoroso renascimento conservador-liberal. Conseguirá a vaga conservadora em gestação na Europa acompanhar a linguagem liberal e anti-estatista da sua congénere americana?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site