Logo Observador
Presidente Marcelo

Marcelo enaltece visita “estratégica” do Presidente do Paraguai a Portugal

O Presidente da República enalteceu esta quinta-feira a visita oficial do Presidente do Paraguai, declarando que a passagem de Horacio Cartes pelo país é "estratégica" e não "meramente emotiva".

Portugal e Paraguai, frisou Marcelo Rebelo de Sousa, são "países amigos e irmãos" em áreas como o mundo ibero-americano ou o relacionamento entre o Mercosul e a União Europeia

TIAGO PETINGA/LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enalteceu esta quinta-feira a visita oficial do Presidente do Paraguai a Portugal, declarando que a passagem de Horacio Cartes pelo país é “estratégica” e não “meramente emotiva”.

“Esta visita não é uma visita ocasional, meramente emotiva, mas sim estratégica. Daqui por uns anos se verá como esta visita correspondeu à abertura de um ciclo novo na relação entre os dois países”, valorizou o chefe de Estado de Portugal, falando depois de receber, no Palácio de Belém, o Presidente da República do Paraguai, Horacio Cartes.

Portugal e Paraguai, frisou Marcelo Rebelo de Sousa, são “países amigos e irmãos” em áreas como o mundo ibero-americano ou o relacionamento entre o Mercosul e a União Europeia, e ambos os países estão “muito empenhados no relacionamento bilateral”.

“Há novas hipóteses de complementaridade entre as duas economias, as duas sociedades e os dois povos”, declarou o Presidente da República, que acrescentou que as empresas portuguesas “já entenderam isso”.

“Nos últimos tempos [as empresas] avançaram para projetos no Paraguai beneficiando do espírito de abertura, do não-protecionismo, da atração da presença de outras economias e outras sociedades”.

“Portugal é também uma economia e um país aberto, que quer levar mais longe essa abertura com o Paraguai”, concretizou Marcelo Rebelo de Sousa, numa curta intervenção, sem questões dos jornalistas, que se seguiu à reunião de quase uma hora entre os dois Presidentes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt