Logo Observador
Restaurantes

O que é taiwanês é bao, diz este novo restaurante do Porto

369

Os pãezinhos cozidos a vapor de que toda a gente fala têm uma nova morada na Rua de Cedofeita. No Bao's - Taiwanese Burger há "street food" com inspiração taiwanesa, das taças de arroz às sobremesas.

Ricardo Castelo/Observador

Uma das grandes tendências da street food mundial chegou ao Porto esta segunda-feira. No número 263 da Rua de Cedofeita moram agora os bao, pãezinhos de origem asiática cozinhados a vapor, assim como taças de arroz e sobremesas típicas de Taiwan, a ilha à qual os portugueses chamaram Formosa, quando lá chegaram no século XVI.

Cozinhar esta ideia levou tempo. O primeiro ingrediente que João Winck, o responsável pelo novo Bao’s — Taiwanese Burger, lançou ao lume foi o ingresso num curso superior de hotelaria, no Porto. Apesar do momento de crise que vivia o país, o turismo estava em alta na Invicta e arranjar estágios não foi difícil. Difícil era sobreviver sem qualquer apoio monetário durante o estágio e, depois disso, com os salários baixos praticados pelo setor. “Trabalhar muito, ganhar pouco e ser explorado? Decidi ir para fora”, recorda.

O segundo ingrediente foi ter aproveitado a ida do pai para a Alemanha. Fez também a mala em 2014 e ingressou os números crescentes da emigração da altura. Mal chegou a Munique, arranjou “três ou quatro entrevistas, do dia para a noite”, e acabou por escolher a cozinha do hotel Hilton de Munique.

O Gua Bao, feito de barriga de porco, é o mais tradicional. © Ricardo Castelo/Observador

O terceiro ingrediente é uma casualidade feliz. Na altura de tirar férias do trabalho, no ano seguinte, foi até Taiwan e apaixonou-se pela comida de rua, mais concretamente pelos bao, que começavam também aos poucos a chegar à Europa e a provocar água na boca a muita gente. Estava ali uma oportunidade de negócio, pensou o português.

Nesse mesmo ano, o então primeiro-ministro Passos Coelho anunciou a criação do programa VEM, destinado aos portugueses que se viram forçados a sair do país em busca de melhores condições de vida e que queriam regressar como empreendedores. O Governo selecionou 30 projetos finalistas e acabou por apoiar financeiramente 20 ideias. O Bao’s, de João Winck, foi um dos selecionados. Foi a receita perfeita.

A Alemanha ficou para trás. Mas só fisicamente, porque o empreendedor-chef de 26 anos diz que, com ele, veio uma cultura diferente. Garante, por exemplo, que dá aos seus funcionários condições melhores do que as praticadas pela maioria das empresas no setor. “É preciso dar valor a quem trabalha connosco, nas folgas, bom ambiente, e no salário”, defende.

O Bao’s — Taiwanese Burguer é, então, um restaurante de street food com inspiração taiwanesa, começa por explicar. Há os pratos típicos, que João assinalou no menu com uma pequena bandeira de Taiwan, para ser mais fácil identificá-los. O mais comum é o Gua Bao (3,90€), feito de barriga de porco e ao qual adiciona pickle caseiro, coentros e amendoim.

Lu Rou Fan, uma das taças de arroz servidas no Bao’s. © Ricardo Castelo/Observador

Os outros cinco bao já são interpretações de influência portuguesa e asiática. O Cod Bao (4,90€), por exemplo, leva um nugget de bacalhau, alioli de limão e salada coleslaw. O Tofu Bao (4€), para os vegetarianos, tem tofu crocante, chutney de manga e pimenta rosa, chalotas e daikon, espécie de nabo japonês. Destaque para o Crab Bao (6,50€), com tempura de caranguejo de casca mole, mayo de wasabi, daikon, chalotas e coentros, e para o Pulled Pork Bao (3,90€), com um pernil desfiado cuja preparação leva entre 12 a 14 horas, adornado com uma gema curada em molho de soja e vinagre mirin.

Os outros dois pratos tipicamente taiwaneses são as taças de arroz, a Lu Rou Fan com barriga de porco braseado e gema curada, entre outros ingredientes, e a 3 Cup Chicken, com frango e chili. “Todas estas comidas são bastante apuradas”, diz João, quer os doces, quer os salgados, à boa maneira asiática.

O pernil, que dá tanto trabalho a cozinhar a baixa temperatura, tem o destaque que merece num conceito para grupos entre seis e 10 pessoas. Pelo preço fixo de 90€, o grupo recebe na mesa um pernil de quatro quilos, “curado durante várias horas e assado lentamente por 8h antes de ser caramelizado lentamente”. A acompanhar vêm duas taças com arroz branco e outras duas taças com folhas de alface, mais três molhos — ssäm sauce, sementes de mostarda e gengibre e cebolete. Depois, é só fazer pequenos wraps consoante o gosto de cada um. Para este menu, é preciso fazer uma reserva prévia com 24 horas de antecedência, para dar tempo de preparar o pernil.

Mango Chaved Ice Cream “é manga ao cubo”, descreve João. © Ricardo Castelo/Observador

Voltando ao bao, também o encontramos nas sobremesas. O Ice Cream Bao é frito e leva, ou gelado de amendoim, banhado em calda de chocolate de leite e amendoim por cima, ou então gelado de sésamo preto com caramelo e amêndoa (3€).

Outra das inspirações taiwanesas é a Mango Shaved Ice Cream, que é um prato para amantes de manga: leva fruto, depois um sorvete de manga lascado “numa máquina de gelados especial feita em Taiwan” e, no fim, compota de manga e leite condensado. “É uma sobremesa grande, dá para duas a três pessoas”, sublinha.

Tarte de caramelo salgado e um brownie funcional (mais saudável e nutritivo, feito de avelã e servido com sorvete de framboesa e champanhe) completam a secção dos doces. Nas bebidas também há duas opções vindas diretamente de Taiwan: cidra de maçã e um chá de jasmim ou chá verde cuja particularidade é ter bolhas com sabor a maracujá ou manga.

Por enquanto, os pãezinhos a vapor têm de ser importados de Taiwan, mas o objetivo de João é encontrar uma padaria nas proximidades que consiga igualar a receita. “Estamos em conversações com padarias e já fizemos testes”, confidencia. No entanto, como as farinhas são diferentes, tem sido difícil conseguir “aquela consistência fofa e branquinha” que caracteriza o bao.

Ao todo, há 28 lugares sentados para provar esta iguaria nova na cidade, divididos entre duas salas diferentes. Mas, sendo um conceito de comida de rua, o bao é servido em embalagens descartáveis. Para que o cliente possa levar um bao cheio de história para onde quiser.

Nome: Bao’s — Taiwanese Burger
Morada: Rua de Cedofeita, 263, Porto
Contacto: 22 243 7951
Horário: De terça a quinta-feira das 12h às 15h e das 19h às 23h, sextas e sábados das 12h às 15h e das 19h à 01h, domingo das 12h às 15h e das 19h às 23h. Encerra à segunda feira
Reservas: Aceita
Site: www.facebook.com/pg/Baos.pt

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: socoelho@observador.pt
PSD

O erro dos críticos de Passos Coelho

Rui Ramos

À oligarquia, basta um governo que faça contas para Bruxelas ver. Ora, isso Costa já provou que é possível com o PCP e o BE. Não precisa do PSD. Nem o de Passos Coelho, nem o de quem quer que seja.