Logo Observador
Literatura

Morreu o escritor brasileiro António Candido, Prémio Camões 1998

O escritor brasileiro António Cândido morreu, na madrugada desta sexta feira, aos 98 anos, anunciou a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

O velório do escritor, considerado um dos mais influentes críticos literários do Brasil no século XX, será realizado esta sexta feira.

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O escritor e crítico literário brasileiro Antonio Candido, Prémio Camões 1998, morreu na madrugada desta sexta feira, aos 98 anos, anunciou a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, no Brasil.

De acordo com a mesma fonte, o velório do escritor, considerado um dos mais influentes críticos literários do Brasil no século XX, será realizado esta sexta feira, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde se encontrava internado.

O autor conquistou por quatro vezes o Jabuti, principal prémio literário do Brasil, com as obras “Formação da literatura brasileira” (1960), “Os parceiros do Rio Bonito” (1965), de poesia, e “Brigada ligeira e outros escritos” (1993), com ensaios.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Venezuela

O drama da comunidade portuguesa na Venezuela

Daniel Bastos

A falta de segurança e o caminho que a Venezuela parece seguir rumo ao abismo estão a levar muitos emigrantes a regressarem para Portugal, sendo já notório que há cada vez mais a voltarem à Madeira.

Família

Guerra e Paz

Margarida Alvim

Há muitas famílias assim. Conjuntos de pessoas que vivem debaixo do mesmo tecto. Os pais sabem de todos, mas cada irmão sabe de si. A razão só pode ser uma: falta de confiança. E falta de amizade.

Catolicismo

Medjugorje: solução à vista?

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Para um cristão a investigação sobre as supostas aparições de Medjugorge faz sentido, pois deve conhecer a solidez das suas convicções e estar preparado para responder a quem lhe pedir razão da espera

Terrorismo

O respeitinho é muito bonito, mas pouco eficaz

Alberto Gonçalves
358

É injusto generalizar? Com certeza. Mas a aversão a generalizações, ou o respeito trémulo pelo islão, não tem corrido bem. Quando o resultado da reverência é este, talvez valha a pena tentar a afronta