Economia

Produção automóvel em Portugal recua 14,7% em abril

A produção automóvel em Portugal atingiu 12.243 unidades no mês de abril, caindo 14,7% face a igual mês de 2016, uma nova queda após a recuperação verificada no mês anterior.

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A produção automóvel em Portugal atingiu 12.243 unidades no mês de abril, caindo 14,7% face a igual mês de 2016, uma nova queda após a recuperação verificada no mês anterior, revelou a associação do setor.

De acordo com os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), “a produção automóvel global mantém um comportamento oscilante, registando uma nova queda após a recuperação verificada em março último”.

Segundo a ACAP, em abril verificou-se uma queda de 16% na produção de ligeiros de passageiros face ao mês homólogo, para 8.610 unidades.

Já no segmento de ligeiros de mercadorias foram produzidas 3.130 novas viaturas, representando uma quebra de 15,6% face ao período homólogo, ao passo que nas viaturas pesadas houve um aumento de 29,3%, com 503 novas unidades produzidas.

Em relação aos valores acumulados, no primeiro quadrimestre deste ano, “a produção registou um ligeiro crescimento de 0,8%”, para 50.544 unidades.

Assim, nos quatro primeiros meses deste ano foram produzidos 34.000 automóveis ligeiros de passageiros (mais 1,3% do que em igual período do ano anterior), 14.289 ligeiros de mercadorias (menos 5,8%) e 2.246 veículos pesados (mais 58,6%).

Segundo a ACAP, os números de abril mostram, uma vez mais, o peso que as exportações representam para o setor automóvel, já que 96,6% dos veículos fabricados em Portugal têm como destino a exportação, o que contribui de “forma significativa” para a economia portuguesa.

A Europa continua a ser o principal mercado de destino das exportações de veículos produzidos em Portugal — totalizando 83,8% –, com a Alemanha, Espanha, França e o Reino Unido no topo da lista.

Em termos geográficos, o mercado asiático, encabeçado pela China (10,2%), mantém o segundo lugar nas exportações de automóveis “made in Portugal”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Orçamento do Estado

Um Orçamento à esquerda

Joana Vicente

A redução pretendida do número de funcionários públicos não tem acontecido. Não é de estranhar que possa haver uma derrapagem das despesas com pessoal em 2018 superior à de 2017.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site