Logo Observador
Amor

Foram precisos 72 anos para uma carta de amor chegar ao destinatário

152

Um antigo marinheiro da Califórnia, agora com 96 anos, recebeu uma carta de amor enviada em 1945 pela sua mulher que já faleceu onde avisava o marido que ia ser pai.

O caso aconteceu a um marinheiro na Califórnia, com 96 anos. Rolf Christoffersen recebeu uma carta da sua mulher que já faleceu. A carta tinha sido enviada em 1945, há 72 anos, e veio de Nova Jersey, antigo local onde o casal vivia.

A carta tinha sido enviada por Virginia para o navio onde o marinheiro se encontrava, na altura atracado em Port-of-Spain, a capital de Trindade e Tobago, nas Caraíbas. Não se sabe bem porquê mas a carta nunca chegou ao seu destino, pelo menos até agora.

Os atuais proprietários da casa onde o casal vivia, Allen Cook e a filha Melissa, deram com o envelope durante as remodelações, ainda selado, numa racha do teto da casa. “O envelope era velho e amarelo, nunca foi aberto, foi inacreditável quando o meu genro começou a ler. Na carta, Virginia falava sobre o bebé que ia ter”, contou à CNN Allen Cook. O envelope tinha sido marcado como “devolver ao remetente”.

Melissa esforçou-se ao máximo para conseguir que a carta fosse entregue ao destinatário correto. Procurou por todo o lado até chegar ao contacto de um dos filhos do marinheiro, Rolf Christoffersen. Ao receber uma chamada no escritório a perguntar onde tinha vivido, Rolf ficou curioso sobre o que se poderia tratar.

“Alguém ligou para o meu escritório. Tinham pesquisado o meu nome no Google, que é igual ao do meu pai. A Melissa perguntou-me onde é que eu tinha crescido e eu disse-lhe que tinha sido ali [na casa dela]. Ela contou que tinha a carta e foi assim que descobri”, contou à CNN o filho do marinheiro. Rolf filho, tem agora 66 anos e a mãe morreu há seis anos. As palavras escritas por Virginia deixaram-no emocionado. O filho fez questão de ler a carta e finalmente, o marinheiro recebeu a correspondência, 72 anos depois.

“Fiquei surpreendido ao fim de todos estes anos. Fiquei muito feliz por saber que existia uma carta destas, aliás, continuo muito emocionado”, contou o Christoffersen pai à CNN. A carta informava, na altura, que o casal estava prestes a ter um filho.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mrodrigues@observador.pt
Amor

A lição que Portugal deveria aprender com o Brasil

Ruth Manus
1.073

Foi aí que percebi que “eu te amo” seria uma belíssima solução para o amor português. Na verdade, nós no Brasil nem falamos o “eu”. Basta o “te amo”. O que importa é que é uma expressão fácil.

Família

Pai

Laurinda Alves
47.723

Escrevo para que outros filhos e outros pais não se esqueçam de que tudo passa, menos o amor. No coração de um pai ficam para sempre gravados todos os gestos de amor. No coração dos filhos também.

Violência Doméstica

Mestrado em sexo forçado?

Laurinda Alves
1.809

Não está nas nossas mãos começar nem terminar namoros alheios, mas está ao nosso alcance ficar disponíveis para ouvir e conversar sobre estes temas complexos e delicados, sem moralismos nem devassas.