Logo Observador
Ténis

Argentino Juan Mónaco retira-se do ténis profissional aos 33 anos

O tenista argentino Juan Mónaco anunciou esta segunda-feira o fim da sua carreira profissional, despedindo-se dos 'courts' aos 33 anos, depois de 15 épocas no circuito profissional ATP.

Mónaco começou a carreira profissional em 2002, com 18 anos, e foi em 2012 que teve a melhor época, ao chegar ao 10.º lugar mundial

PAUL BUCK/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O tenista argentino Juan Mónaco anunciou esta segunda-feira o fim da sua carreira profissional, despedindo-se dos ‘courts’ aos 33 anos, depois de 15 épocas no circuito profissional ATP.

“Queridos amigos, certamente estou a tomar a decisão certa. A nostalgia que me provoca… posso dizer-lhes que uma etapa maravilhosa da minha vida chegou ao fim. Retiro-me do ténis profissional”, explicou, nas redes sociais, o tenista que atualmente era 196.º do ranking mundial.

Mónaco, que venceu nove torneios ATP, do qual chegou a estar no ‘top 10’, e integrou a seleção da Argentina na Taça Davis, assumiu que vive “muitos sentimentos juntos”, pelo que admite que é “muito difícil resumi-los numa só nota”.

Sinto-me orgulhoso por ter disputado muitíssimos desafios durante tantos anos. Agradeço pelo que o ténis me deu: educação, disciplina, amizades e momentos inesquecíveis. Tristeza porque vou sentir falta de estar nos ‘courts’ de ténis”, acrescentou.

Mónaco começou a carreira profissional em 2002, com 18 anos, e foi em 2012 que teve a melhor época, ao chegar ao 10.º lugar mundial. Também integrou a equipa argentina que venceu a Taça Davis em 2016.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Já não há vida para além do défice

Rui Ramos

O plano é claro: viabilizar o regime português, não através da iniciativa dos cidadãos em Portugal, mas das transferências europeias, confiando na velha complacência de Bruxelas. 

Crónica

Um certo tempo

Miguel Tamen

O que é dizer uma coisa? Se eu contei um segredo a mim próprio não posso ser acusado de bisbilhotice ou de traição: não disse nada.