Logo Observador
Londres

Londres questiona terminologia do futuro “quartel general” da UE

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico assegura que o Reino Unido não interferirá nos planos da União Europeia de fortalecer a defesa comum, mas levanta algumas dúvidas sobre o nome aplicado.

Para Johnson, não deve ser designado como "quartel-general" uma entidade que tenha como missão a coordenação da "capacidade de planificação e condução militar" de operações não executivas

OLIVIER HOSLET/EPA

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, assegurou esta segunda feira, em Bruxelas, que o Reino Unido não interferirá nos planos da União Europeia (UE) de fortalecer a defesa comum, levantado apenas dúvidas sobre a terminologia do futuro quartel-general.

Prossegue a discussão sobre a terminologia, mas quero destacar que de há um ano para cá, quando aqui vim pela primeira vez, o Reino Unido compreende a importância vital, tal como todos os países europeus, de trabalharmos juntos para reforçarmos a nossa defesa”, disse Johnson, à entrada para uma reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE.

Para Johnson, não deve ser designado como “quartel-general” uma entidade que tenha como missão a coordenação da “capacidade de planificação e condução militar” de operações não executivas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Conferências

Portugal, fórum do diálogo global

Daniel Traça

É cada vez mais importante criar pontes, ultrapassar o conflito, o medo, a insegurança e a intolerância. Sem um esforço intenso de promoção desse diálogo, está em risco um novo período de trevas