Logo Observador
Jovens

Ministro da Educação leva “A Voz dos Alunos” à OCDE

O ministro da Educação apresenta na terça-feira em Lisboa a iniciativa "A Voz dos Alunos", destinada a ouvir a opinião dos jovens sobre a escola, os currículos, os professores e o que os motiva.

Tratou-se de uma iniciativa "inédita em Portugal" e que a OCDE acolheu, estando empenhada na sua divulgação pelas escolas de todos os estados-membros do projeto "Educação 2030"

LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O ministro da Educação apresenta na terça-feira em Lisboa a iniciativa “A Voz dos Alunos”, destinada a ouvir a opinião dos jovens sobre a escola, os currículos, os professores e o que mais os motiva nas aulas.

Tiago Brandão Rodrigues leva a iniciativa portuguesa a um encontro promovido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que reúne na capital portuguesa centenas de professores, alunos, peritos, decisores políticos e representantes das redes de escolas de cerca de 30 países.

Segundo informação disponibilizada pelo Ministério da Educação, o ministro abre a sessão com o “lançamento internacional da iniciativa”, juntamente com dois alunos do ensino secundário, na reitoria da Universidade Nova de Lisboa.

Durante a manhã, cerca de 30 alunos de vários países vão refletir “numa sessão dinâmica e interativa” sobre a escola, métodos de ensino e avaliação, entre outras questões.

Esta sessão precede a abertura dos trabalhos do projeto “Educação 2030″ da OCDE, que depois da China acontece em Lisboa e junta na capital portuguesa centenas de peritos, decisores políticos e representantes de escolas de todo o mundo”, anunciou o Ministério em comunicado.

Os trabalhos deste fórum, que vai na quinta edição, terminam na quinta-feira e começam com um seminário inspirado na experiência portuguesa “A Voz dos Alunos”.

De acordo com o Ministério, pela primeira vez num encontro internacional da OCDE haverá “estudantes integrados nas delegações a participarem na discussão” sobre a visão que têm para a escola do futuro. Andreas Schleicher, responsável pela área da Educação da OCDE, acompanha os trabalhos.

Pretende-se que o seminário resulte no lançamento de um movimento internacional de auscultação dos alunos, “construído a partir da experiência portuguesa”.

Que escola querem, o que pensam dos currículos, o que esperam dos professores e o que mais os motiva dentro da sala de aula, foram as perguntas a que os jovens portugueses responderam e que, segundo o Ministério, foram tidas em conta na definição do Perfil do Aluno para o Século XXI, que se encontra em fase de conclusão.

“A Voz dos Alunos” foi lançada em novembro durante uma conferência em Leiria. De acordo com o Ministério, as 32 páginas de sugestões feitas pelos alunos para melhorar o currículo constituem “material de trabalho para a tutela”.

Tratou-se de uma iniciativa “inédita em Portugal” e que a OCDE acolheu, estando empenhada na sua divulgação pelas escolas de todos os estados-membros do projeto “Educação 2030”, sublinha o Ministério.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Catolicismo

Maria Madalena: a apóstola dos apóstolos

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
410

Todas as mulheres cristãs, sem necessidade do sacramento da Ordem, podem e devem ser, sejam leigas ou consagradas, solteiras ou casadas, apóstolas de apóstolos, como Maria Madalena.

Crónica

Quem viaja muito a trabalho tem sorte?

Ruth Manus

Viajar toda hora só é uma sorte quando tais viagens são por turismo voluntário ou por outra razão mais nobre. Viajar por necessidade ou por imposição não tem lá muita graça.

Proteção Civil

Lei da Rolha: a censura cor-de-rosa

José Pinto

O calor – mais em sentido real do que figurado – dos incêndios não é bom conselheiro. Há que refrescar a informação no sossego climatizado dos gabinetes. Uma verdade a exigir intermediação.