Logo Observador
Ténis

Maria Sharapova abandona Torneio de Roma após lesão na perna esquerda

A tenista russa Maria Sharapova abandonou o torneio de Roma, após lesão na perna esquerda, numa altura em que vencia a croata Mirjana Lucic-Baroni por 4-6, 6-3 e 2-1.

ETTORE FERRARI/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A tenista russa Maria Sharapova abandonou nesta terça-feira o torneio de Roma, após lesão na perna esquerda, numa altura em que vencia a croata Mirjana Lucic-Baroni por 4-6, 6-3 e 2-1. Face à desistência, a antiga número um mundial, de 30 anos, terá disputado o seu último torneio em terra batida da temporada, já que a tenista russa ficou hoje a saber que a organização do ‘Grand Slam’ francês de Roland Garros decidiu não lhe atribuir um ‘wild card’ para participar no torneio.

A russa, que triunfou na prova de terra batida em 2012 e 2014, está fora do ‘top 200’, pelo que nem sequer consegue ir à qualificação. Após o seu regresso de um castigo de 15 meses devido a ´doping´, Sharapova já disputou três torneios, todos graças a convite.

O anúncio da recusa foi feito pelo presidente da federação francesa de ténis, Bernard Giudicelli, que revelou ter comunicado a decisão pessoalmente à atleta. Roland Garros principia a 28 de maio e também não vai contar com o suíço Roger Federer, que optou por preparar a época para relva e piso sintético, prescindindo da única competição em terra batida que estaria nos seus planos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Fogo de Pedrógão Grande

Assim, nada vai mudar

Alexandre Homem Cristo

A quem se entrega um dossier que se pretende inconclusivo? Ao parlamento, claro – um cemitério de reformas políticas e um palco de desentendimentos que nunca desilude nos espectáculos mediáticos.

Ocidente

A tradição ocidental da liberdade sob a lei

João Carlos Espada

A velha ideia de Universidade é uma das ideias centrais da Tradição Ocidental da Liberdade sob a Lei. Ambas serão celebradas entre hoje e quarta feira no Estoril Political Forum.

Fogo de Pedrógão Grande

Tudo é nada. E o nada é medo

Helena Matos

O imprevisível tornou-se no terror do Governo. Porque é o imprevisível que expõe o logro desse Estado cheio de “meninas César" que gasta metade da riqueza nacional e desaparece quando gritamos Socorro