Logo Observador
Elétricos

Novo recorde. Nio EP9 esmaga Huracán Performante

Novo recorde absoluto em Nürburgring para um automóvel de produção. O feito coube ao superdesportivo eléctrico Nio EP9, que bateu por mais de 6 segundos o Lamborghini Huracán Performante.

Autor
  • António Sousa Pereira

Boas notícias para os fãs dos automóveis eléctricos: a Nio anunciou que o seu EP9 bateu o recorde da volta mais rápida ao mítico traçado do Nordschleife, do Circuito de Nürburgring. E não, não se trata do melhor registo para um modelo eléctrico, que já lhe pertencia, mas sim o melhor tempo absoluto para um automóvel de produção, seja qual for o tipo de motorização utilizada!

Significa isto que o tempo de 06m45s900 obtido pelo EP9, com o piloto Peter Drumbeck aos comandos, bate por mais de 6 segundos o anterior recorde, pertença do Lamborghini Huracán Performante desde Outubro do ano passado. Não menos impressionante, o superdesportivo chinês cilindrou a sua anterior melhor marca, até aqui recorde da pista para automóveis eléctricos, em nada menos do que 19,22 segundos.

Aqui fica o vídeo de confirmação desta volta verdadeiramente espectacular, um autêntico feito para os automóveis em geral, e para os eléctricos em particular:

Segundo a Nio, a explicação para tal reside nas condições climatéricas. Isto é, quando, no ano passado, o EP9 percorreu a sua melhor volta ao “Inferno Verde” em 07m05s120, o clima estaria, ao que parece, “inclemente”. O que não se verificou desta vez, permitindo ao superdesportivo chinês, com quatro motores eléctricos e 1.360 cv, alcançar este incrível tempo.

A Nio confirmou já que pretende avançar com a produção de um segundo lote de 10 unidades EP9, cada uma com um preço-base de 1,35 milhões de euros.

Esta notícia foi actualizada às 19h47, com a inserção do vídeo que comprova o novo recorde.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt