Viral

Dia da Net. 12 histórias dos memes mais populares da Internet

No Dia da Net, fomos saber o que é feito das pessoas (e de um gato) que inspiraram os memes virais. Agora são pais ou estrelas da Internet. Mas contam uma história mais profunda do que parece.

Quando escrevíamos cartas como principal meio de comunicar à distância, usávamos a pontuação para expressar com maior precisão as nossas histórias. Quando vieram as mensagens instantâneas e os telemóveis começaram a ser presença habitual nas nossas mãos, habituámo-nos aos emoji. Agora, com a Internet, há um novo formato de transmitir histórias: os memes.

O Observador já contou, no artigo “Memes, um fenómeno viral que a Biologia sabe explicar”, que um “meme” e um “gene” partilham mais características do que os internautas possam imaginar. Para descobri-lo, há que folhear “O Gene Egoísta”, um dos livros científicos mais influentes do século XX. A conclusão dessa obra é simples: assim como um gene transporta informação que é transmitida geração atrás de gerações podendo ou não ser expressa, um “meme” transporta uma memória ou um conhecimento (por exemplo, um traje, uma canção popular, uma receita típica, a linguagem ou um comportamento) que é passado de mente em mente, geração após geração. E aos memes acontece o mesmo que aos genes: passam por um processo de selecção natural. Se não forem aptos a sobreviver e disseminar-se, então desaparecem. E esse pedaço de conhecimento desaparece.

Memes, um fenómeno viral que a Biologia sabe explicar

Esta é a definição de Richard Dawkins, um etólogo e biólogo evolutivo britânico que em 1976, quando lançou “O Gene Egoísta”, não sabia que esse conceito havia de ser recuperado quando a Internet tivesse ganhado raízes um pouco por todo o mundo. Agora, um “meme” é uma fotografia que, acompanhada por uma história, torna-se numa anedota da Internet que pode tornar-se viral. De acordo com a memética — um ramo que, assim como a genética estuda os genes, debruça-se sobre os memes — “não importa se uma ideia ou conceito é verdadeiro ou não: importa como consegue alcançar sucesso com o seu potencial de transmissão e contágio”. Michele Coscia, especialista em Humanidades Digitais na Universidade de Harvard, vai mais longe e diz que, para um “meme” ser viral, deve “ter algo de peculiar que o faz distinto dos que já estão a ser partilhados”.

Mas como funciona este mundo dos “memes”? Em locais como o 9GAG, o Reddit, o Twitter e por aí adiante, há imagens famosas que significam coisas diferentes: para contar uma determinada história, dependendo do seu conteúdo, pode escolher o “Grumpy Cat” para contar uma história de impaciência, a “Overly Attached Girlfriend” para contar uma história de obsessão, o “Bad Luck Brian” para falar de uma história de azar ou o “Socially Awesome Awkward Penguin” para contar uma história que pode ser boa ou má, dependendo da perspetiva. Todos esses “memes” foram protagonizados por pessoas ou animais cujas fotografias fizeram voar o imaginário dos internautas mais criativos. Veja o que é feito desses protagonistas na fotogaleria em cima.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Autárquicas 2017

Falar de André Ventura

Alexandre Homem Cristo

Ventura está a ser sobrevalorizado – enquanto candidato e, mais ainda, enquanto intérprete de novos rumos para a direita. Um erro que, perante a tentação de leituras nacionais, será importante evitar.

Estados Unidos da América

Carta da América

João Carlos Espada

Na América, está em curso um vigoroso renascimento conservador-liberal. Conseguirá a vaga conservadora em gestação na Europa acompanhar a linguagem liberal e anti-estatista da sua congénere americana?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site