Logo Observador
Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo defende que emissão com juros ainda mais negativos confirma “viragem na economia”

O Presidente da República considerou esta quarta-feira que Portugal ter colocado 1.500 milhões de euros em dívida a juros ainda mais negativos "confirma a viragem na economia".

Portugal colocou esta quarta-feira 1.500 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Bilhetes do Tesouro a seis e a 12 meses a taxas de juro médias ainda mais negativas do que as dos anteriores leilões comparáveis

JOÃO RELVAS/LUSA

O Presidente da República considerou esta quarta-feira que Portugal ter colocado 1.500 milhões de euros em dívida a juros ainda mais negativos “confirma a viragem na economia” e representa que os “mercados estão a sentir a solidez financeira” em Portugal.

“É mais uma boa notícia, que confirma a viragem de que eu falei ontem [terça-feira] na economia portuguesa. Os mercados estão a sentir a solidez financeira em Portugal, estão a sentir o crescimento e, por isso, o Governo – e bem – tira proveito da situação, financiando-se num momento positivo e os mercados respondem com juros cada vez mais negativos”, respondeu o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, aos jornalistas à margem das Jornadas Árabes, que decorrem entre esta quarta e quinta-feira na Torre do Tombo, em Lisboa.

Portugal colocou esta quarta-feira 1.500 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Bilhetes do Tesouro a seis e a 12 meses a taxas de juro médias ainda mais negativas do que as dos anteriores leilões comparáveis, foi anunciado na página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na Bloomberg.

“Era impensável há um ano, há dois, há três, há quatro, que nós pudéssemos ir recolher dinheiro a seis meses, a um ano, a juros tão negativos, quer dizer que as pessoas ainda pagam para ter dívida pública portuguesa. Isso é bom”, sublinhou ainda o chefe de Estado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt