Logo Observador
Festival Eurovisão da Canção

Salvador Sobral em julho ao festival Super Bock Super Rock com projeto sobre Fernando Pessoa

O cantor português Salvador Sobral, que venceu no sábado o Festival Eurovisão da Canção, no festival Super Bock Super Rock com o projeto Alexander Search, sobre Fernando Pessoa.

O festival Super Bock Super Rock decorre de 13 a 15 de julho no Parque dos Nações

TATYANA ZENKOVICH/EPA

O cantor português Salvador Sobral, que venceu no sábado o Festival Eurovisão da Canção, atua no dia 13 de julho no festival Super Bock Super Rock (SBSR), em Lisboa, com o projeto Alexander Search, sobre Fernando Pessoa, foi anunciado esta quarta-feira.

O Palco EDP, vai receber, dia 13 de julho, em estreia absoluta, o projeto Alexander Search, que junta o novo herói nacional da música Salvador Sobral ao brilhantismo inconfundível de Júlio Resende”, refere a promotora Música no Coração num comunicado divulgado esta quarta-feira

Salvador Sobral, 27 anos, venceu no sábado o Festival Eurovisão da Canção, em Kiev, com o tema “Amar pelos dois”, escrito pela irmã, Luísa Sobral. A visibilidade nacional e internacional do músico surgiu um ano depois de ter editado o álbum de estreia, “Excuse me”, marcado pelo jazz e pela pop e com o qual tem andado em digressão pelo país há vários meses.

O cantor atua no SBSR no primeiro dia do festival, no mesmo palco que The Orwells, Kevin Morby e Boogarins. Nesse dia atuam ainda no festival os Red Hot Chili Peppers, The New Power Generation com Bilal, Capitão Fausto, Tuxedo, Throes + The Shine, Manuel Fúria e os Náufragos e Minta & The Brook Trout.

No projeto Alexander Search, o pianista e compositor Júlio Resende “parte de letras da autoria de Alexander Search [heterónimo de de juventude de Fernando Pessoa] para compor canções com o intuito de trazer o universo de Fernando Pessoa às novas gerações, contribuindo para a sua transversalidade e universalidade”, lê-se no comunicado. O primeiro álbum do projeto será editado em junho e o tema de apresentação, “A Day of Sun”, estará disponível a partir de sexta-feira.

Por causa da participação e da vitória no Festival Eurovisão da Canção, no passado sábado, as vendas de bilhetes para os concertos de Salvador Sobral dispararam nos últimos dias e muitos espetáculos estão esgotados ou quase sem disponibilidade de bilhetes.

Segundo a agenda já anunciada, o primeiro concerto de Salvador Sobral depois da vitória no festival acontece no sábado, no Marco de Canavezes, no âmbito do Festival Confluências, com entrada gratuita sujeita à lotação do espaço.

Nascido em Lisboa, em 1989, Salvador Sobral participou, ainda criança, no concurso de talentos “Bravo, Bravíssimo”, na SIC, a estação de televisão onde voltaria aos 18 anos, para participar no “Ídolos”. “Sou um inquieto musical, preciso de ter muitos projetos em simultâneo. Estou a preparar um disco de boleros em jazz. É uma dor de cabeça ter tantas facetas. Acabarei por ter tantos heterónimos como Fernando Pessoa”, garantiu em entrevista recente ao jornal espanhol El País. No sábado, ainda em Kiev, nas primeiras declarações depois da vitória, Salvador Sobral disse que “a música não é fogo-de-artifício, é sentimento”.

O festival Super Bock Super Rock decorre de 13 a 15 de julho no Parque dos Nações e do cartaz fazem ainda parte Future, London Grammar, NBC, Octa Push, Keso, Slow J, Língua Franca (no dia 14), Deftones, Foster the People, Black Bombaim, Taxiwars, Silva, Sensible Soccers, Stone Dead, James Vincent McMorrow, Seu Jorge e Bruno Pernadas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Festival Eurovisão da Canção

Portugal: doze pontos

Alberto Gonçalves
2.492

A Eurovisão está para a música como o restaurante do Barbas para a literatura ou o clã Mortágua para a economia. Mas bastou reconhecer esta nação valente para que adquirisse o prestígio de Bayreuth.

PSD

O erro dos críticos de Passos Coelho

Rui Ramos

À oligarquia, basta um governo que faça contas para Bruxelas ver. Ora, isso Costa já provou que é possível com o PCP e o BE. Não precisa do PSD. Nem o de Passos Coelho, nem o de quem quer que seja.