Logo Observador
Tapas

Sim, é aquela altura do ano outra vez: tapa + cerveja = 3€

764

Em receita vencedora não se mexe, insiste-se: durante duas semanas, em diversos pontos de Lisboa, Porto e Braga, 3€ voltam a dar direito a uma tapa e uma cerveja na já célebre Rota de Tapas.

Autor
  • Tiago Pais

Mais duas moedas, mais uma voltinha nesta Rota de Tapas, evento que já começa a roçar o estatuto de tradição nacional, tais as vezes que se tem repetido ao longo dos últimos quatro anos. Organizada, como é habitual, pela cervejeira espanhola Estrela Damm, a Rota volta, não só, a reunir diversos restaurantes de Lisboa, Porto e Braga, a partir de quinta-feira, 18 de maio, como faz uma incursão inédita até Faro, onde já decorre desde dia 11.

O conceito é o de sempre: até 4 de junho (ou 28 de maio, em Faro), é possível comer uma tapa e beber uma cerveja nos restaurantes selecionados por 3€. Sendo que o objetivo dos organizadores é promover a circulação pelos diferentes espaços aderentes, concentrados em áreas geográficas específicas dentro de cada cidade. Para tal, e como tem acontecido noutras edições, é fornecido um mapa onde é possível acumular carimbos. E basta um para ter direito, em Lisboa e Porto, a boleia de tuk-tuk para as diferentes zonas onde há restaurantes e bares que fazem parte do roteiro.

A tapa do BaixóPito, no Porto. (foto: © SERGIO JACQUES)

Os carimbos servem ainda outro propósito: colecionando pelo menos três e publicando uma fotografia nas redes sociais com o hashtag #rotadetapas fica-se habilitado a uma viagem a Barcelona. Basta que ela seja uma das mais votadas da galeria publicada no site oficial do evento. Ao todo há mais de 100 espaços nas quatro cidades onde comer, beber e carimbar. Na fotogaleria, em cima, estão alguns deles, representados pelas respetivas tapas.

O quê: Rota de Tapas Estrella Damm
Quando: 18 de maio a 4 junho (Lisboa, Porto e Braga); 11 a 28 de maio (Faro)
Onde: Em mais de 100 espaços distribuídos por Lisboa, Porto, Braga e Faro
Quanto: 3€ dão direito a uma cerveja e uma tapa

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Quem viaja muito a trabalho tem sorte?

Ruth Manus

Viajar toda hora só é uma sorte quando tais viagens são por turismo voluntário ou por outra razão mais nobre. Viajar por necessidade ou por imposição não tem lá muita graça.

Catolicismo

Maria Madalena: a apóstola dos apóstolos

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Todas as mulheres cristãs, sem necessidade do sacramento da Ordem, podem e devem ser, sejam leigas ou consagradas, solteiras ou casadas, apóstolas de apóstolos, como Maria Madalena.