Logo Observador
Crise Política no Brasil

“Crash” leva bolsa brasileira a suspender negociação

A principal bolsa do Brasil, a Bovespa de S. Paulo suspendeu esta manhã por 30 minutos a negociação de ações. Índice estava a cair 10% com notícias sobre envolvimento do presidente em suborno.

AARON CADENA OVALLE/EPA

A bolsa de valores do Brasil (BR&FBovespa) suspendeu esta quinta-feira de manhã por 30 minutos as negociações de ações. O índice de referência brasileiro estava a cair mais de 10% antes da suspensão, esfumando-se boa parte dos ganhos que se acumularam nos últimos meses na bolsa brasileira (desde a saída de Dilma).

A decisão da bolsa de valores aconteceu depois de o índice Ibovespa, onde estão cotadas as ações das principais empresas do país, registar uma queda de 10,47%, ao fim de 20 minutos de sessão.

O real, moeda do Brasil, também regista uma queda, de 8,82% face ao dólar às 10h40 locais (14h40 em Lisboa).

O mercado brasileiro está a negociar em negativos um dia depois de escândalos de corrupção atingirem o Presidente do Brasil, Michel Temer, e outros políticos que apoiam o Governo, supostamente envolvidos num esquema de pagamento de suborno denunciado pela empresa JBS.

Os investidores dizem que “ainda é cedo para perceber o que vai acontecer nos próximos dias”, mas nesta fase os capitais estão a ser retirados das ações e de outros ativos brasileiros. Marcelo Assalin, gestor de carteiras de dívida em mercados emergentes, recomenda aos investidores que “mantenham a calma e esperar por mais informação”, sublinhando que “os ativos brasileiros são uma boa aposta para quem tiver uma abordagem de longo prazo”.

A bolsa brasileira está a ver esfumar-se boa parte da recuperação registada desde a saída da Dilma Rousseff.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terrorismo

Sitting ducks

José Ramón Pin e José Miguel Pinto dos Santos

É fantástico não ter medo de sheiks e de mullahs, allamahs e ayatollahs, nem dos seus rebentos, mas só se isso não impedir as acções adequadas para anular o seu potencial de destruição.

PSD

O erro dos críticos de Passos Coelho

Rui Ramos

À oligarquia, basta um governo que faça contas para Bruxelas ver. Ora, isso Costa já provou que é possível com o PCP e o BE. Não precisa do PSD. Nem o de Passos Coelho, nem o de quem quer que seja.