Logo Observador
Alentejo

Rota dos Vinhos do Alentejo recebeu mais de 140 mil visitantes em 2016

A Rota dos Vinhos do Alentejo recebeu mais de 140 mil visitantes, em 2016, o que representa um "crescimento notável", foi esta quinta feira divulgado pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana.

Além da rota, a CVRA conta também com uma sala de provas, situada no centro histórico da cidade de Évora

NUNO ANDRE FERREIRA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Rota dos Vinhos do Alentejo, criada pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), recebeu mais de 140 mil visitantes, em 2016, o que representa um “crescimento notável”, foi esta quinta feira divulgado. Os dados foram recolhidos pela CVRA junto dos membros da Rota dos Vinhos do Alentejo, cerca de 70 produtores vitivinícolas da região.

O aumento do número de visitantes, segundo o mesmo organismo, surge na sequência da aposta em “reforçar o enoturismo”, alargando a rota e “oferecendo mais e melhor informação aos turistas”, não só sobre vinhos, mas também sobre outros aspetos da realidade cultural e turística regional, como o património, artesanato, animação turística e cultural e a gastronomia.

Aproveitando o interesse de potenciais visitantes e turistas nacionais e estrangeiros pela temática vinícola, pretende-se que a Rota dos Vinhos seja mais do que a definição num mapa dum circuito turístico”, explicou a CVRA.

Além da rota, a CVRA conta também com uma sala de provas, situada no centro histórico da cidade de Évora, que recebeu cerca de oito mil visitantes no ano passado. O espaço funciona não só como sala de provas, mas também, segundo a CVRA, como “ponto de partida central para se planear uma viagem, de forma que o visitante possa ficar a conhecer tudo sobre o enoturismo no Alentejo”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Açores

O despertar da bela adormecida?

Maria João Avillez

E sobre isso, um véu de melancolia tão pesado e uma solidão tão desolada que moldaram os poetas, politicos e pintores que os Açores nos deram.

Serviço Nacional de Saúde

O registo oncológico nacional

Filipa Iglésias

A divulgação de dados pessoais tão sensíveis como os relativos à saúde deve ser feita com consentimento directo dos cidadãos, de forma livre, específica, informada, explícita e não por defeito.

Açores

O despertar da bela adormecida?

Maria João Avillez

E sobre isso, um véu de melancolia tão pesado e uma solidão tão desolada que moldaram os poetas, politicos e pintores que os Açores nos deram.