Banco de Portugal

Saldo das balanças corrente e de capital sobe para os 583 milhões de euros no 1.º trimestre

O saldo conjunto das balanças corrente e de capital situou-se em 583 milhões de euros no primeiro trimestre, tendo aumentado 351 milhões de euros em comparação com o período homólogo de 2016.

Para esta evolução contribuíram todas as componentes da balança corrente e de capital, com exceção da balança de bens e da balança de rendimento primário

Tiago Petinga/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O saldo conjunto das balanças corrente e de capital situou-se em 583 milhões de euros no primeiro trimestre, tendo aumentado 351 milhões de euros em comparação com o período homólogo de 2016, divulgou esta quinta-feira o Banco de Portugal.

Segundo uma nota estatística divulgada pela instituição, para esta evolução contribuíram todas as componentes da balança corrente e de capital, com exceção da balança de bens e da balança de rendimento primário.

Até março, refere o Banco de Portugal, a balança de bens e serviços registou um excedente de 72 milhões de euros, menos 54 milhões de euros que no período homólogo de 2016.

“Os saldos da balança de bens e da balança de serviços apresentaram evoluções diferenciadas, tendo sido o aumento do saldo da balança de serviços insuficiente para compensar o aumento do défice da balança de bens”, sinaliza.

Neste período, de acordo com os dados disponíveis, as exportações cresceram 15% (16,7% nos bens e 11% nos serviços), a par dos 15,4% registados nas importações (15,9% nos bens e 13,3% nos serviços).

Na balança de serviços, o excedente da rubrica “Viagens e turismo” aumentou 160 milhões de euros, fixando-se em 1,270 mil milhões de euros.

O défice da balança de rendimento primário aumentou, por sua vez, 188 milhões de euros, tendo passado de 347 para 535 milhões de euros, influenciado pela redução dos rendimentos de investimento recebidos do exterior.

Já o saldo da balança de rendimento secundário aumentou 501 milhões de euros, justificado pela variação das transferências correntes recebidas, e pela diminuição da contribuição financeira paga à União Europeia.

Nos primeiros três meses de 2017, o saldo da balança financeira registou um aumento dos ativos líquidos de Portugal sobre o exterior no valor de 936 milhões de euros.

No mês de março, indica o Banco de Portugal, este aumento situou-se em 365 milhões de euros.

Nas operações deste mês é de destacar o investimento por parte de residentes, em títulos de dívida emitidos por entidades não residentes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Autárquicas 2017

As eleições de André Ventura

Rui Ramos

Não há no que André Ventura afirmou qualquer vestígio de “racismo” ou “xenofobia”. Mas este Verão, a nossa oligarquia política precisava de inventar um Trump de palha, desse por onde desse.  

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site