Logo Observador
Masters

Stanislas Wawrinka afastado nos ‘oitavos’ do Masters 1000 de Roma

O tenista suíço Stanislas Wawrinka, terceiro do 'ranking' mundial, foi esta quinta feira afastado nos oitavos de final do Masters 1000 de Roma pelo norte-americano John Isner, 24.º ATP.

Wawrinka vive uma temporada frustrante na terra batida, com "resultados muito maus" que ditaram afastamentos prematuros em Monte Carlo e Madrid.

Kiko Huesca/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O tenista suíço Stanislas Wawrinka, terceiro do ‘ranking’ mundial, foi esta quinta feira afastado nos oitavos de final do Masters 1000 de Roma pelo norte-americano John Isner, 24.º ATP, por 7-6 (7-1) e 6-4.

“Quando procuramos a confiança e ritmo, adversários como Paire (que venceu na quarta-feira) e Isner não são os ideais. Tive oportunidades para quebrar o serviço, mas não consegui impor o meu jogo”, lamentou o helvético.

Wawrinka vive uma temporada frustrante na terra batida, com “resultados muito maus” que ditaram afastamentos prematuros em Monte Carlo e Madrid.

“Não há muito a aprender com estes jogos, apenas treinar mais. Conheço o meu nível de jogo e o físico. A confiança pode mudar rapidamente. É preciso continuar a lutar. Queria ter feito melhor, mas isto não me assusta”, vincou.

Para continuar a preparação para Roland Garros, em Paris, onde venceu em 2015, Wawrinka vai jogar um torneio na próxima semana em Genebra, Suíça.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Fogo de Pedrógão Grande

Assim, nada vai mudar

Alexandre Homem Cristo

A quem se entrega um dossier que se pretende inconclusivo? Ao parlamento, claro – um cemitério de reformas políticas e um palco de desentendimentos que nunca desilude nos espectáculos mediáticos.

Ocidente

A tradição ocidental da liberdade sob a lei

João Carlos Espada

A velha ideia de Universidade é uma das ideias centrais da Tradição Ocidental da Liberdade sob a Lei. Ambas serão celebradas entre hoje e quarta feira no Estoril Political Forum.

Fogo de Pedrógão Grande

Tudo é nada. E o nada é medo

Helena Matos

O imprevisível tornou-se no terror do Governo. Porque é o imprevisível que expõe o logro desse Estado cheio de “meninas César" que gasta metade da riqueza nacional e desaparece quando gritamos Socorro