Emprego

Costa diz que crescimento do emprego em 2016 deveu-se muito ao crescimento turístico

O primeiro-ministro destacou a importância do turismo na economia nacional, admitindo que o crescimento do emprego em Portugal em 2016 se deveu muito ao crescimento da atividade turística.

JOSÉ COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O primeiro-ministro destacou a importância do turismo na economia nacional, admitindo que o crescimento do emprego em Portugal em 2016 se deveu muito ao crescimento da atividade turística.

“O turismo tem importância pela atividade económica que gera, pelo peso que tem nas exportações e pelo efeito multiplicador na criação de emprego”, afirmou António Costa durante uma visita à Igreja e Torre dos Clérigos, no Porto, considerado o `ex-libris´ da cidade.

Por esse motivo, o chefe do Governo frisou a importância da conjugação de esforços por parte do Estado, dos municípios, das regiões de turismo e da igreja para que Portugal continue a ser um “grande destino” turístico.

“É minha profunda convicção que turismo chama turismo porque cada visitante, no regresso a casa, conta a sua experiência aos familiares, amigos, colegas de trabalho e vizinhos e, se desses, dois vierem visitar o país, já é bom”, entendeu.

O primeiro-ministro afiançou que o turista encontra em Portugal aquilo que não encontra noutro país, que é o “fator de diferenciação”, tornando o país atrativo.

Elogiando a “vitalidade” que o Porto ganhou nos últimos anos, o socialista vincou que a cidade tornou-se “indiscutivelmente” um dos grandes fatores de atratividade do turismo nacional.

“Ouço excessivas vezes dizer que temos tido sorte no crescimento do turismo, como se o turismo que tem crescido em Portugal resultasse do infortúnio que tem afetado outros destinos turísticos”, frisou.

Costa admitiu que porventura há destinos no país de virados para o produto “sol e praia” que terão beneficiado da instabilidade política e da insegurança existente noutras regiões, mas lembrou que quem visita o Porto não o faz pelo sol e praia.

Mas sim, sublinhou, pela “vitalidade notável, pelo património de grande riqueza, pela gastronomia que oferece, pelo acolhimento caloroso e amigável, afirmando-se por si próprio como um destino de grande importância turística”.

O primeiro-ministro foi agraciado pela Irmandade dos Clérigos, responsável pela gestão do monumento, como o visitante número dois milhões, números desde a inauguração das obras da igreja, em 2014.

“É uma grande honra ter sido o visitante dois milhões da renovada Torre dos Clérigos”, exprimiu.

António Costa dedicou o dia de hoje ao distrito do Porto, tendo já passado por Vila Nova de Gaia, Maia, Lousada e Porto, seguindo agora para Rio Tinto, Gondomar e Penafiel.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Igreja Católica

O milagre do Papa Francisco

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
207

Há quem deseje que a Igreja católica se converta numa espécie de organização não-governamental, dedicada a causas sociais e ecológicas. No fundo, uma Igreja sem Deus.

Identidade de Género

A Esquerda e a libertação do Homem

Pedro Morais Vaz

Vamos dar esta mensagem a jovens de 16 anos: “Ainda não tens maturidade suficiente para ingerir uma cerveja, mas não nos opomos a que troques de sexo”. Serei o único a ver algo de patológico nisto?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site