Rali de Portugal

José Pedro Fontes e navegadora estão fora de perigo

O piloto português José Pedro Fontes e a sua navegadora, foram transportados, esta sexta-feira, para o Hospital de Viana do Castelo, após um acidente no Rali de Portugal. Ambos estão fora de perigo.

José Pedro Fontes foi o último a partir para a segunda prova especial de classificação do Rali de Portugal

HUGO DELGADO/LUSA

O piloto português José Pedro Fontes e a sua navegadora, Inês Ponte, foram esta sexta-feira transportados para o Hospital de Viana do Castelo, após um acidente no Rali de Portugal, anunciou a organização da sexta prova do Mundial. Ambos estão fora de perigo.

De acordo com a assessoria de comunicação da prova, Inês Ponte foi transportada de helicóptero e José Pedro Fontes de ambulância, depois de o Citroen DS3 R5 do bicampeão nacional ter embatido num eucalipto, 400 metros após a partida para os 26,7 quilómetros da segunda especial, em Viana do Castelo.

O diretor do serviço de urgência da Unidade de Saúde Local do Alto Minho (ULSAM), Rui Escaleira, deu conta que “as vítimas encontram-se sem risco de vida, conscientes, tranquilas, com estado clinico estável e atualmente estão em curso os exames complementares de diagnóstico necessários à melhor caracterização da extensão e da eventual gravidade das lesões”.

José Pedro Fontes foi o último a partir para a segunda prova especial de classificação do Rali de Portugal, a primeira do dia. A 51.ª edição do Rali de Portugal, a disputar até domingo, voltou este ano a integrar o campeonato nacional, que é liderado pelo piloto lisboeta.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Autárquicas 2017

Falar de André Ventura

Alexandre Homem Cristo

Ventura está a ser sobrevalorizado – enquanto candidato e, mais ainda, enquanto intérprete de novos rumos para a direita. Um erro que, perante a tentação de leituras nacionais, será importante evitar.

Estados Unidos da América

Carta da América

João Carlos Espada

Na América, está em curso um vigoroso renascimento conservador-liberal. Conseguirá a vaga conservadora em gestação na Europa acompanhar a linguagem liberal e anti-estatista da sua congénere americana?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site