Logo Observador
Cerveja Artesanal

Pátio da Cerveja. Quando os artesãos rumam à fábrica

É uma incoerência inocente: um dos maiores festivais de cerveja artesanal de Lisboa volta a acontecer num ambiente industrial. O Pátio da Cerveja regressa à LX Factory a partir desta sexta-feira.

Amantes de cerveja artesanal, regozijai-vos. E rumai à LX Factory.

Getty Images/iStockphoto

À terceira é de vez. Não há duas sem três. Um é pouco, dois é bom, três é demais. Só uma destas frases feitas — é fácil perceber qual — é que se aplica à terceira edição do festival Pátio da Cerveja, que invade a partir desta sexta-feira, 19 de maio, a Fábrica XL da LX Factory, que no primeiro dia do evento estará em modo Open Day. Até domingo será possível provar a nata (ou a espuma, neste caso) da cerveja artesanal nacional. E não só.

A entrada é gratuita mas o copo oficial do festival custa 3€.
(foto: DR)

As cervejeiras portuguesas estarão presentes em peso, bem como algumas internacionais, com curadoria da Cerveteca, o bar/loja pioneiro neste género em Lisboa. Ao todo, serão mais de uma centena as variedades disponíveis. Tal como no ano passado, há diversos momentos de dinamização do evento: intervenções artísticas ao vivo, harmonizações, workshops, palestras e provas comentadas. Além disso, volta a ser possível encher o estômago — e, consequentemente, ensopar algum do álcool consumido — em diversos pontos de street food. E por falar em rua, este ano há uma novidade a reter: uma esplanada. Assim a meteorologia colabore.

Ao todo será possível provar mais de 100 variedades de cerveja.
(foto: DR)

A entrada no festival é gratuita mas para poder participar devidamente (leia-se beber cerveja) será necessário adquirir o copo oficial do evento, que custa 3€.

O quê: Pátio da Cerveja
Onde: Fábrica XL, LX Factory (Rua Rodrigues Faria, 103, Alcântara, Lisboa)
Quando: De 19 a 21 de maio. Sexta das 16h às 04h, sábado das 14h às 01h e domingo das 14h às 21h
Quanto: A entrada é grátis mas o copo oficial custa 3€. O preço das cervejas varia

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Família

O cabanão (segunda crónica estival)

Maria João Avillez
128

Mas a quem preocupa hoje o esmorecimento do modelo tradicional familiar se ele é propagado como tendo passado de moda, saído de linha, estar “descontinuado”?

Educação

O Filipa e a escola pública

Maria José Melo

Portugal só será realmente um país civilizado quando existir consciência cívica por parte de todos os cidadãos. Foi esta visão que adquiri no Liceu D. Filipa de Lencastre e me acompanhou toda a vida.