Logo Observador
Cerveja Artesanal

Pátio da Cerveja. Quando os artesãos rumam à fábrica

É uma incoerência inocente: um dos maiores festivais de cerveja artesanal de Lisboa volta a acontecer num ambiente industrial. O Pátio da Cerveja regressa à LX Factory a partir desta sexta-feira.

Amantes de cerveja artesanal, regozijai-vos. E rumai à LX Factory.

Getty Images/iStockphoto

À terceira é de vez. Não há duas sem três. Um é pouco, dois é bom, três é demais. Só uma destas frases feitas — é fácil perceber qual — é que se aplica à terceira edição do festival Pátio da Cerveja, que invade a partir desta sexta-feira, 19 de maio, a Fábrica XL da LX Factory, que no primeiro dia do evento estará em modo Open Day. Até domingo será possível provar a nata (ou a espuma, neste caso) da cerveja artesanal nacional. E não só.

A entrada é gratuita mas o copo oficial do festival custa 3€.
(foto: DR)

As cervejeiras portuguesas estarão presentes em peso, bem como algumas internacionais, com curadoria da Cerveteca, o bar/loja pioneiro neste género em Lisboa. Ao todo, serão mais de uma centena as variedades disponíveis. Tal como no ano passado, há diversos momentos de dinamização do evento: intervenções artísticas ao vivo, harmonizações, workshops, palestras e provas comentadas. Além disso, volta a ser possível encher o estômago — e, consequentemente, ensopar algum do álcool consumido — em diversos pontos de street food. E por falar em rua, este ano há uma novidade a reter: uma esplanada. Assim a meteorologia colabore.

Ao todo será possível provar mais de 100 variedades de cerveja.
(foto: DR)

A entrada no festival é gratuita mas para poder participar devidamente (leia-se beber cerveja) será necessário adquirir o copo oficial do evento, que custa 3€.

O quê: Pátio da Cerveja
Onde: Fábrica XL, LX Factory (Rua Rodrigues Faria, 103, Alcântara, Lisboa)
Quando: De 19 a 21 de maio. Sexta das 16h às 04h, sábado das 14h às 01h e domingo das 14h às 21h
Quanto: A entrada é grátis mas o copo oficial custa 3€. O preço das cervejas varia

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: tpais@observador.pt