Logo Observador
Música

Pedro Jóia Trio e Ney Matogrosso atuam em junho no Mosteiro dos Jerónimos

441

O músico Pedro Jóia atua com o seu trio no próximo dia 26 de junho no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, num concerto que conta com a participação especial do cantor brasileiro Ney Matogrosso.

O alinhamento inclui composições de Pedro Jóia e de alguns dos mais reconhecidos compositores de fado e música tradicional portuguesa e latina.

ESTELA SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O músico Pedro Jóia atua com o seu trio no próximo dia 26 de junho no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, num concerto que conta com a participação especial do cantor brasileiro Ney Matogrosso, foi anunciado esta sexta-feira.

O músico Pedro Jóia e Ney Matogrosso têm desenvolvido uma relação artística nos últimos 15 anos. Em 2003, Ney Matogrosso participou no álbum “Jacarandá”, de Pedro Jóia. Matogrosso retribuiu o desafio com um convite para Jóia fazer parte da sua banda, tendo o músico português feito parte dos álbuns “Vagabundo” (2004) e “Canto em Qualquer Canto” (2005), e participado nas respetivas digressões, durante quatro anos.

O trio de Pedro Jóia completa-se com os músicos João Frade, no acordeão, e Norton Daiello, no baixo, e tem-se apresentado, regularmente, com este trio, com o qual realizou em 2015 uma digressão à China.

“Neste espetáculo, ao talento originalíssimo de Ney Matogrosso e ao reconhecido virtuosismo de Pedro Jóia, juntam-se João Frade e Norton Daiello, numa noite em que apresentarão um repertório que incluirá música tradicional ibérica, música nordestina do Brasil e, alguns temas incontornáveis da carreira de Ney Matogrosso”, segundo uma nota da organização.

O alinhamento inclui composições de Pedro Jóia e de alguns dos mais reconhecidos compositores de fado e música tradicional portuguesa e latina, como Armandinho, Carlos Paredes, Paco de Lucia e Carlos Gardel.

Pedro Jóia, distinguido em 2008 com o Prémio Carlos Paredes pelo álbum “À espera de Armandinho”, tem editado, entre outros, os álbuns “Guadiano” (1996), “Sueste” (1999), “Variações sobre Paredes” (2001), “Jacarandá” (2003), disco em que além de Ney Matogrosso contou com a participação de Elba Ramalho, Daniela Mercury, Zeca Baleiro e Zélia Duncan. Em 2015 editou o CD “Pedro Jóia Ao Vivo com Orquestra de Câmara Meridional”.

Do currículo de Pedro Jóia, desde o início da sua formação em guitarra flamenca, destaca-se a direção musical de projetos diversificados, a composição para teatro e a participação em festivais de música e concertos em várias partes do globo — Cabo Verde, Macau, Marrocos, República Checa, Índia, Brasil, Moçambique, Angola, Costa do Marfim, Finlândia, Holanda, Estados Unidos e Andorra.

Pedro Jóia iniciou aos sete anos os estudos de guitarra clássica na Academia dos Amadores de Música em Lisboa, concluindo o curso de guitarra do Conservatório Nacional, em 1990. Em 1986 começou a estudar guitarra flamenca, inicialmente de forma autodidata frequentando, mais tarde, ‘masterclasses’ e cursos de aperfeiçoamento em Espanha com os guitarristas Paco Peña e Gerardo Nuñes.

Pedro Jóia frequentou, entre 1989 e 1992, a Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. De 1992 a 1998 estudou e trabalhou com o guitarrista Manolo Sanlúcar, em Córdoba, no sul de Espanha. Em 1993 o músico iniciou a atividade de concertista, realizando vários recitais e apresentando-se em diferentes festivais tanto em Portugal como no estrangeiro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Catolicismo

Maria Madalena: a apóstola dos apóstolos

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Todas as mulheres cristãs, sem necessidade do sacramento da Ordem, podem e devem ser, sejam leigas ou consagradas, solteiras ou casadas, apóstolas de apóstolos, como Maria Madalena.