Logo Observador
Bibliotecas

Câmara de Lisboa investiu oito milhões investidos nas bibliotecas desde 2010

Desde 2010, a Câmara Municipal de Lisboa gastou 8,3 milhões de euros na recuperação, renovação e construção das bibliotecas da cidade. A biblioteca do Palácio Galveias reabre este sábado.

A rede de leitura de Lisboa envolve 18 bibliotecas, entre as geridas pela câmara e as que são geridas por juntas de freguesia

LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Câmara Municipal de Lisboa gastou 8,3 milhões de euros na recuperação, renovação e construção das bibliotecas da capital desde 2010, segundo dados da autarquia, que somou 4.691.588 utilizadores destes equipamentos, no mesmo período. Os números são conhecidos a dois dias da reabertura da biblioteca do Palácio Galveias, no Campo Pequeno, encerrada para obras desde 2015, onde foram investidos cerca de 2,5 milhões de euros.

A rede de leitura de Lisboa envolve 18 bibliotecas, entre as geridas pela câmara e as que são geridas por juntas de freguesia, sendo as bibliotecas de Marvila, Espaço Cultural — Cinema Europa, em Campo de Ourique, e de Alcântara (ainda por abrir), as três construídas e equipadas de raiz, durante os dois últimos mandatos da Câmara de Lisboa.

Sete é o número total de bibliotecas recuperadas e renovadas: Camões, Belém, Penha de França, Orlando Ribeiro, em Telheiras, Coruchéus, em Alvalade, além do Palácio Galveias e da Hemeroteca, nas Laranjeiras. As bibliotecas geridas pela Câmara totalizam onze: Belém, Camões, Coruchéus, Marvila, Orlando Ribeiro, Palácio Galveias e Penha de França, assim como a Biblioteca-Museu República e Resistência, perto da Cidade Universitária, a Biblioteca por Timor, em São Bento, o serviço da Biblioteca Itinerante e a Hemeroteca Municipal.

As bibliotecas geridas por juntas de freguesia cifram-se em sete: David Mourão-Ferreira, no Parque das Nações, Maria Keil, no Lumiar, Natália Correia, em Carnide, São Lázaro, em Arroios, assim como as bibliotecas dos Olivais, da Estrela e o Espaço Cultural – Cinema Europa.

De acordo com dados da Câmara, entre 2013 e 2016 o número de utilizadores do serviço de empréstimos de bibliotecas totalizou 144.459, enquanto os documentos emprestados ascenderam a 2.454.003. O número de páginas consultadas na Hemeroteca digital foi de 37.460.509.

O Palácio Galveias reabre ao público este sábado, com novas valências, cinco salas de leitura, salas multiusos, uma sala polivalente e uma área ‘lounge’, disse a vereadora da Cultura da Câmara de Lisboa, Catarina Vaz Pinto. Encerrado desde 2015, o espaço da biblioteca terá agora uma área de dois mil metros quadrados, com 332 lugares sentados, contra os 110 de que dispunha antes, e irá funcionar no mesmo horário, acrescentou Catarina Vaz Pinto, numa visita guiada à imprensa.

As obras atingiram os 2,5 milhões de euros, dos quais 1,9 milhões foram despendidos no edificado e 600 mil euros em equipamento. Segundo a vereadora, antes das obras esta biblioteca contava com 600 utilizadores por dia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

O Filipa e a escola pública

Maria José Melo

Portugal só será realmente um país civilizado quando existir consciência cívica por parte de todos os cidadãos. Foi esta visão que adquiri no Liceu D. Filipa de Lencastre e me acompanhou toda a vida.