Logo Observador
Curiosidades Auto

Mecânico destrói Porsche 911 Turbo (antes de entregá-lo ao dono)

É normal que um automóvel que entre numa oficina, mesmo sendo um Porsche 911 Turbo, passe por um teste de estrada antes de ser entregue ao proprietário. Mas não de modo a ficar praticamente destruído.

Autor
  • António Sousa Pereira

As imagens, captadas por um circuito interno de vídeo, falam por si. E a história conta-se em poucas palavras. Na Rússia, um mecânico de uma oficina dedicada a automóveis de luxo decidiu levar um Porsche 911 Turbo para um pequeno teste de estrada. Até aqui, nada de novo: é um procedimento normal, em qualquer latitude, assegurar que as intervenções operadas tiveram o resultado esperado antes de devolver o automóvel ao seu legítimo proprietário.

O problema é que, no caso em apreço, o proprietário em questão terá considerado menos legítima a forma como decorreu o tradicional test drive. Abordando de forma, no mínimo, optimista uma curva à chegada à dita oficina, a uma velocidade pouco condicente com as características da via em que circulava, o mecânico que seguia ao volante deste 911 Turbo acabou por alargar a trajectória para lá do que, porventura, esperava. Azar dos azares, em sentido contrário seguia um veículo, e o ataque aos travões levou a traseira do desportivo germânico a soltar-se, acabando não só por embater na outra viatura, como por entrar em pião, imobilizando-se contra um muro.

Antes de passar pela “esfrega” de um mecânico menos dado à arte de condução, é este o aspecto de um Porsche 911 Turbo

Resultado: um 911 Turbo praticamente destruído! E algumas explicações a prestar tanto aos ocupantes do segundo veículo, como ao patrão, à seguradora e, claro, ao proprietário da viatura. Menos mal que do disparate não terão resultados quaisquer danos para os ocupantes de nenhum dos automóveis.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt