TAP

TAP. Frasquilho presidente, Lacerda Machado na administração

Miguel Frasquilho vai ser o novo presidente do Conselho de Administração da TAP, confirmou o jornal Expresso. Lacerda Machado e líder da Fundação Serralves, Ana Pinho, são vogais.

INÁCIO ROSA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Miguel Frasquilho vai ser o novo presidente do Conselho de Administração da TAP, confirmou hoje o jornal Expresso, que avança ainda o nome do advogado Lacerda Machado e da líder da Fundação Serralves, Ana Pinho, para vogais.

O semanário refere também que, do lado dos privados, entra um representante dos chineses da HNA, que participa no consórcio Atlantic Gateway através da brasileira Azul e objetiva uma posição de 20% na TAP.

O nome de Miguel Frasquilho, ex-presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) era falado há alguns meses. Já em março, no aniversário da companhia aérea, a Lusa noticiou que o presidente executivo da TAP, Fernando Pinto, afirmou que esta escolha para presidir ao Conselho de Administração da TAP ainda não estava oficializada, mas garantiu que o responsável é “muito respeitado” pela atual equipa de gestão.

Hoje, o Expresso cita o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e confirma a escolha.

O semanário refere também que o governante avançou os nomes do advogado Diogo Lacerda Machado e Ana Pinho, presidente do Conselho de Administração da Fundação Serralves e administradora da Oporto British School, para assumirem os cargos de vogais no conselho de administração da TAP.

O Expresso adianta ainda que a assembleia-geral (AG) extraordinária está marcada para 30 de junho, às 16:00.

A 30 de maio, Pedro Marques já tinha afirmado à Lusa que o Conselho de Administração da TAP terá seis elementos indicados pelo Estado, detentor de 50% do capital, e seis elementos escolhidos pelo consórcio Atlantic Gateway, dos empresários Humberto Pedrosa e David Neeleman, com uma participação de 45%, sendo que o presidente nomeado pelo Estado terá voto de qualidade.

Em maio ficou concluída a Oferta Pública de Venda (OPV) de 5% do capital social do grupo aos trabalhadores da TAP, operação em que a procura de ações superou 17,5 vezes a oferta.

A OPV era um dos compromissos assumidos no memorando de entendimento entre o Estado e a Atlantic Gateway, para a reconfiguração do capital social da TAP, passando o Estado a deter 50% do capital, em vez dos 39% negociados pelo Governo anterior.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
ERC

O Imperador vai nu

Luís Reis
764

Carlos Magno usou a majestática influência que o seu nome contém para decidir sozinho em tema da maior gravidade. Infelizmente não o fez como um Carolus Magnus, antes como um autêntico Carolus Parvus.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site