Brasil

Museu da Língua Portuguesa reabrirá até ao início de 2019

O governador do Estado de São Paulo anunciou que o Museu da Língua Portuguesa, parcialmente destruído por um incêndio no final de 2015, deverá reabrir ao público, no máximo, no início de 2019.

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou este domingo que o Museu da Língua Portuguesa, parcialmente destruído por um incêndio no final de 2015, deverá reabrir ao público, no máximo, no início de 2019.

“Já estamos em pleno trabalho de restauração do prédio da Estação da Luz, para o mais rapidamente o reabrir ao público”, o que acontecerá “provavelmente no final do ano que vem, o mais tardar no início de 2019”, disse o governador aos jornalistas, à margem da cerimónia de assinatura do acordo técnico entre o Governo de Portugal, a Fundação Roberto Marinho – responsável pelo museu – e o Estado de São Paulo para o fornecimento de conteúdos para o Museu da Língua Portuguesa.

A cerimónia, que está integrada no programa de comemorações do Dia de Portugal, decorreu no Consulado Geral de Portugal com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O primeiro-ministro manifestou total disponibilidade por parte do Estado Português para a reconstrução do Museu da Língua Portuguesa em São Paulo e destacou o contributo já dado por empresas nacionais como a EDP.

António Costa falava a jornalistas brasileiros e à agência Lusa momentos antes da assinatura do acordo técnico entre o Governo de Portugal, a Fundação Roberto Marinho e o Estado de São Paulo para o fornecimento de conteúdos para o Museu da Língua Portuguesa.

Geraldo Alckmin afirmou que, já este ano, ficará concluída a fachada do edifício.

O novo Museu da Língua Portuguesa “será ainda mais moderno e mais interativo”, garantiu o governador, que recordou que, além do apoio do Estado português, participam na parceria a EDP, a Rede Globo e o banco Itaú.

“O museu era dos mais visitados do Brasil, recebeu desde a sua abertura mais de quatro milhões de pessoas, muitos estudantes”, comentou.

Geraldo Alckmin assinalou que hoje há “uma dupla conquista”: além do acordo sobre o museu, também o protocolo para a construção da primeira Escola Portuguesa em terras brasileiras, que será em São Paulo, onde vive a segunda maior comunidade portuguesa no Brasil, com mais de 212 mil pessoas.

“Será a sétima Escola Portuguesa fora de Portugal. São Paulo [com 21 milhões de habitantes] é a cidade do mundo onde mais se fala a língua portuguesa”, destacou.

O Presidente da República português dirigiu-se ao governador como um “grande amigo”, que “cumpriu tudo com que se comprometeu com a maior rapidez e grande afabilidade, solidariedade e compreensão”.

“Portugal não esquece isso”, garantiu.

As comemorações do Dia de Portugal prosseguem hoje à tarde no Rio de Janeiro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site