Logo Observador
Londres

Chef Jamie Oliver oferece comida e água às vítimas do incêndio de Londres

1.957

O chef britânico Jamie Oliver ofereceu-se para garantir comida e água às vítimas, familiares e residentes da Grenfell Tower, em Londres. Oliver tem um restaurante a alguns metros da torre.

O restaurante italiano de Jamie Oliver fica a sensivelmente um quilómetro da Grenfell Tower

Petra Bindel/Wikimedia

Jamie Oliver prontificou-se a ajudar as vítimas e familiares afetados pelo incêndio que ainda decorre na Grenfell Tower, em Londres. O chef britânico lançou um apelo às centenas de familiares para que se desloquem ao seu restaurante a escassos metros para “serem alimentados” gratuitamente.

Oliver escreveu no Instagram que são “todos bem vindos a ficar pelo restaurante”.

Para qualquer uma das centenas de FAMÍLIAS afetadas por este incêndio terrível na Grenfell Towerem Notting Hill hoje, vocês são todos bem vindos a ficar pelo meu restaurante e serem alimentados pela minha equipa italiana. Estamos em Westfield ao virar da esquina. Comida e água grátis, por isso vão e falem com o gerente Juan e vamos garantir que estão bem e que recebem algum amor (…)”

O chef termina com uma mensagem de apoio: “Isto é para as vítimas do incêndio: os nossos pensamentos, amor e orações estão convosco. Muito amor, Jamie”. O restaurante italiano de Oliver fica a uma curta distância da Grenfell Tower.

Fogo em Londres. Há pelo menos seis mortos e duas crianças portuguesas internadas mas livres de perigo

É incerto o número de pessoas diretamente afetadas pelo incêndio, mas sabe-se que há, para já, seis vítimas mortais e dezenas de residentes e famílias dadas como desaparecidas. O chef não é o único voluntário que tem estado a ajudar os serviços médicos e as pessoas atingidas pela catástrofe desta quarta-feira.

Um grupo de muçulmanos tem estado a distribuir águas no local. Paul Kipulu também tem estado a fazer o mesmo juntamente com o filho de três anos. “Não há nada mais do que amor aqui, e eu quis ajudar”, afirmou à BBC, contando que quando o incêndio deflagrou), entrou em pânico para saber se a família dele estava a salvo. Quando percebeu que o incêndio não era no seu prédio, foi procurar um amigo que vivia na na Grenfell Tower, mas ainda não sabe dele.

Há também uma galeria de arte que se ofereceu para servir de abrigo às centenas de desalojados.

Em Kensington, há um ginásio local que vai servir de abrigo para as centenas de desalojados do incêndio desta quarta-feira, juntamente com outros três centros de descanso. “Estamos a tentar realojar todas as pessoas que foram afetadas”, exlicou o porta-voz de Kensington.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt