Logo Observador
Jaguar

Jaguar XF Sportbrake. O requinte para a família

A Jaguar acaba de desvendar a XF Sportbrake. Carrinha que, aos méritos já reconhecidos ao sedan, acresce, desde logo, mais bagageira. E por preços a partir de 54.200€.

A carrinha XF Sportbrake está já disponível para encomenda, aliando às qualidades do XF a versatilidade e o espaço que se exigem a um modelo mais familiar, tanto mais quando este se posiciona entre as propostas "premium"

Autor
  • Francisco António

A Jaguar acaba de dar a conhecer a nova variante mais familiar da gama XF, a carrinha XF Sportbrake. A qual junta às promessas de elegância, requinte e velocidade há muito anunciadas pelo estatuário sedan, mais espaço e capacidade de carga. Tudo isto, por preços a partir de 54.200€, com motor turbodiesel 2,0 litros de 163 cv e nível de equipamento Pure.

Destinada ao segmento das carrinhas premium, a XF Sportbrake aposta na mesma linguagem de design exterior já conhecida do sedan, num ‘corpo’ de 4,995 metros de comprimento e 2,960 m de largura. Forma encontrada para, por exemplo, garantir uma maior habitabilidade no interior, sem penalizar a aerodinâmica – 0,29 é coeficiente anunciado pelo fabricante.

No entanto, e por se tratar de uma variante mais familiar, foi dada especial atenção também à bagageira. Onde, além de um portão accionável por gestos – que incorpora um componente em polímero a ajudar, entre outros aspectos, a uma distribuição de peso quase ideal entre os eixos dianteiro e traseiro -, surge uma capacidade de carga inicialmente fixada em 565 litros, mas que pode chegar aos 1.700 litros, mediante o rebatimento dos bancos traseiros. Embora os responsáveis da Jaguar façam questão de salientar o facto de não ser preciso rebater os bancos traseiros para, por exemplo, acomodar dois sacos de golfe e respectivos buggies eléctricos.

Ainda na traseira, a introdução de uma suspensão pneumática Integral-Link auto-nivelante (de série), também como forma de garantir uma condução sem mácula mesmo quando se rebocam cargas até 2.000 kg. Embora, para ainda maior segurança, seja sempre possível incluir um sistema de tracção às quatro rodas, ajudado pelo sistema All Surface Progress Control, sinónimo de aderência optimizada em todos os pisos.

No habitáculo, iluminado por um tejadilho panorâmico de 1,6 m2 e com uma nova cortina para o sol com controlo por gestos, há promessas de maior espaço para as pernas e melhorias em termos de altura nos lugares traseiros. Com a tecnologia diferenciadora a surgir através de soluções como a Activity Key, uma pulseira à prova de água com a qual o proprietário do veículo pode correr, praticar ciclismo ou realizar desportos aquáticos, sem se preocupar com as chaves do veículo. Ou até mesmo através de um sistema de informação e entretenimento Touch Pro com ecrã táctil de 10″ (12,3″ em opção) e que, segundo a marca, funciona como uma espécie de mordomo digital a bordo.

Anunciando um desempenho robusto, leve e ágil, fruto também de uma construção com elevado conteúdo em alumínio, a garantir um peso total que não excede os 1.660 kg, a Jaguar XF Sportbrake conta com um leque de quatro motorizações a gasolina e diesel, cujas potências variam entre os 163 e os 250 cv. Como bloco de topo, é apresentado um V6 3,0 litros de 300 cv, cuja capacidade de aceleração permite ir do 0 aos 100 km/h em tão-só 6,6 segundos.

Já no caso da motorização de entrada, 2.0D de 163 cv, com tracção traseira, destaque para os consumos anunciados de 4,5 l/100 km, com 118 g/km de emissões de CO2. Deste mesmo turbodiesel existem mais duas variantes, de 180 e 240 cv, as quais, disponíveis apenas com transmissão automática, já permitem ao proprietário escolher entre a tracção traseira proposta de série e a opcional transmissão integral. Finalmente, a gasolina, uma única versão, 2,0 litros de 250 cv, com caixa automática e tracção traseira.

Disponível, embora como opção, está o Sistema Dinâmico Configurável da Jaguar, o qual permite ajustar, ao gosto do condutor e de acordo com os desejos do momento, a resposta da direcção, transmissão e acelerador. Sendo que, acrescido o Sistema Dinâmico Adaptativo, torna-se também possível configurar a suspensão.

A terminar, os preços, que começam nos 54.200€ da motorização 2.0D de 163 cv, com caixa manual, tracção traseira e nível de equipamento Pure, com a troca da transmissão manual pela automática a fazer subir o preço para os 56.828€, ao mesmo tempo que o upgrade deste mesmo motor, para os 180 cv, elevada o valor de venda para os 58.440€. Já a versão mais potente, de 240 cv, mas disponível apenas com caixa automática, tracção integral e nível de equipamento Prestige, orça em 74.901€.

Para quem faça questão de ter à disposição um motor diesel verdadeiramente desportivo, o 3.0 TDV6 de 300 cv, com tracção traseira e caixa automática, pode ser adquirido desde 93.639€.

A gasolina? O 2.0 i4 de 250 cv reclama preços a partir de 61.945€ – com o nível de equipamento de entrada Pure, naturalmente.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt