Logo Observador
Voos low-cost

O pequeno aeroporto americano que pode revolucionar os voos low-cost transatlânticos

946

O aeroporto internacional de Stewart vai receber esta quinta-feira o primeiro voo low cost de uma companhia europeia. Viajar para Nova Iorque passa a custar até 10 vezes menos.

O aeroporto internacional de Stewart não é maior que uma estação de serviço

WIKIMEDIA

O aeroporto internacional de Stewart, nos Estados Unidos, está na linha da frente para mudar a história das travessias atlânticas. A Norwegian Airlines estreia esta quinta-feira uma rota para o pequeno aeroporto, localizado a poucos quilómetros de Nova Iorque, que vai custar 10 vezes menos do que um voo para o centro da cidade.

Quando os primeiros turistas britânicos desembarcarem em Stewart esta quinta-feira, são capazes de se surpreender. É que o aeroporto internacional de Stewart não é maior que uma área de serviço e está, por norma, deserto — e muito limpo.

É fácil de passar despercebido por quem passa, talvez por parecer um centro comercial dos anos 80 e 90, mas já existem planos para a sua expansão.

Tudo depende do sucesso desta nova rota da Norwegian. Para já, tudo não passa de um sonho.

O ponto de viragem do sonho para a realidade pode iniciar-se já esta quinta-feira, quando a companhia aérea voar para Stewart a partir do Reino Unido e da Irlanda, a partir dos 250 euros. O regresso mais barato fica em cerca de 150 euros.

Regressar a partir de um aeroporto principal, como Newark ou JFK, pode custar na mesma época 1500 a 2800 euros.

A Norwegian estreou-se nas travessias transatlânticas em 2013 e já tem uma mão cheia de destinos a partir de Gatwick (Londres). O aeroporto de Stewart tem tarifas aeroportuárias muito baixas (aos níveis de 2008) e isso reduz drasticamente o preço dos bilhetes. Também os novos Boeing 737 AirMax8 da companhia aérea são 20% mais eficientes com o consumo de combustível.

O que pode significar uma mudança é a localização de Stewart: um descampado de 24 quilómetros quadrados — o dobro do espaço de Newark (que movimenta 40 milhões de pessoas por ano). Os planos de expansão querem colocar o pequeno aeroporto na primeira linha de voos internacionais.

O único senão será, talvez, a distância. A única forma económica de se deslocar até Nova Iorque é de autocarro, sensivelmente uma hora. Mas o gerente do aeroporto já está em negociações com empresas como a Uber e a Lyft para conseguir tarifas especiais para os passageiros que escolherem o aeroporto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Fogo de Pedrógão Grande

“Para inglês ver”

Paulo Tunhas

Quando toda a energia do Governo é em última análise canalizada para a manutenção do seu apoio, é fatal que o Estado se degrade e a pouco e pouco, se fragmente, se transforme em algo para inglês ver. 

Ásia

A Índia de Modi

Diana Soller

A política externa da Índia para os Estados Unidos, até hoje, pode ser resumida em três R: Ressentimento, Reciprocidade e Reconhecimento.

caderno de apontamentos

Educação e autarquias

Abel Baptista

Com a descentralização, não poderão as autarquias tornar-se mais competitivas entre si, e oferecer meios de ensino de melhor qualidade, com soluções adaptadas às circunstâncias do concelho e região?