Futebol

Há mais emails a ligar o Benfica a alegados casos de corrupção e o Ministério Público já os tem

2.933

Denúncia anónima terá chegado ao DCIAP antes de o diretor de comunicação do FC Porto revelar as mensagens. Alegado envolvimento do Benfica em casos de corrupção desportiva está a ser analisado.

A denúncia -- e os emails -- terão chegado ao portal do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) há duas semanas

Antonio Cotrim/LUSA

Terá sido de forma anónima, através do botão “Corrupção: denuncie aqui” do site do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), e já há duas semanas, que a queixa que dá conta do alegado envolvimento do Benfica em casos de corrupção desportiva foi formalizada.

A notícia está a ser avançada, esta quinta-feira, pelo Diário de Notícias, que garante também que a denúncia e os emails apensos já foram encaminhados para a Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, mas não terão ainda dado entrada na Unidade Nacional contra a Corrupção da Polícia Judiciária (PJ). O jornal apurou também que, apesar de o Ministério Público ter em seu poder os emails que o diretor de comunicação do FC Porto começou a divulgar no passado 6 de junho, bem como outras mensagens, que não terão sido ainda tornadas públicas, não há para já qualquer “estratégia de investigação” definida relativamente ao caso. Sob análise, o caso não estará ainda abrangido pelo segredo de justiça.

Tem sido às terças-feiras, no programa Universo Porto de Bancada, do Porto Canal, que Francisco J. Marques tem revelado os emails comprometedores alegadamente trocados entre representantes do Benfica — incluindo o próprio presidente, Luís Filipe Vieira –, figuras ligadas à arbitragem e até o então presidente da Liga, Mário Figueiredo. A maior parte da correspondência divulgada, que inclui pedidos de favores no que toca a nomeações, promoções e pontuações de árbitros e delegados ao jogo e revela relações de promiscuidade entre representantes do clube e dos juízes, remonta a 2014. Garante a edição desta quinta-feira do jornal O Jogo que o FC Porto não só detém mais mensagens como pondera revelá-las se as “considerar relevantes no combate ao que apelida ser um esquema de corrupção na arbitragem”.

Benfica avança com processo-crime, Sporting quer retirada do tetra

O Benfica anunciou esta quarta-feira, via fonte oficial citada pelo jornal Record, que vai avançar com “processos-crime contra o presidente do FC Porto, a administração da SAD, o Porto Canal e os elementos presentes no programa”, depois de também ter feito saber, diz o Correio da Manhã, que “tudo isto serve para desviar atenções do descalabro financeiro do FC Porto”.

Já a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) pediu, diz O Jogo, à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que investigue o caso — e que, de preferência, chegue a uma conclusão antes do início da próxima temporada.

Perante o silêncio (presume-se que até à próxima terça-feira, data de emissão de novo Universo Porto de Bancada) do FC Porto, o Sporting, através do seu diretor de comunicação, Nuno Saraiva, reclamou a retirada dos últimos quatro títulos ao rival da Luz e a descida de divisão: “Se tudo isto se comprovar, os títulos nestes quatro anos devem ser retirados e não ser atribuídos a ninguém. Para a História deve ficar que houve um período em que o título não foi atribuído a ninguém porque houve alguém que o ganhou ilegitimamente”.

Pedro Guerra, comentador desportivo e diretor de conteúdos da BTV (Benfica TV), foi um dos primeiros implicados no caso dos emails, juntamente com o antigo árbitro, observador e membro do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Braga, Adão Mendes, pai de Renato Mendes, que também surge referido nas mensagens (já lá iremos). Se o “árbitro vermelho” — de acordo com a edição desta quinta-feira de A Bola é assim que Adão Mendes é conhecido, não necessariamente por qualquer ligação ao clube da Luz mas por ser “comunista e sindicalista” — continua a não querer comentar o caso, Pedro Guerra prestou esta quarta-feira declarações ao Record. Não para se defender, mas para interceder por Luís Filipe Vieira e por Paulo Gonçalves, assessor jurídico da SAD do Benfica desde 2007, também visado nesta segunda leva de emails.

“A seriedade, honestidade, credibilidade e dedicação do presidente do Benfica jamais serão postas em causa. A obra notável, em todas as vertentes, fala por si”, disse sobre o primeiro. “O seu profissionalismo, competência e integridade são sobejamente conhecidos e não há ninguém que consiga manchá-las”, afirmou a propósito do segundo. Sobre todo o caso em que tem sido implicado, ameaçou: “Os criminosos que montaram esta mentira serão investigados, julgados e punidos nos tribunais“.

Mário Figueiredo diz que mensagens estão fora do contexto

Mário Figueiredo, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) entre 2012 e 27 de outubro de 2014, emitiu um comunicado, na quarta-feira, a garantir que nunca beneficiou o Benfica e que as mensagens reveladas por Francisco J. Marques foram “retiradas do contexto”. Ao jornal Record, o ex-dirigente criticou abertamente a estrutura do FC Porto — “Quem estava habituado a ver o campo inclinado e começa a vê-lo direito não gostou” — e enquadrou as mensagens que enviou, a 2 de abril de 2014, ao presidente do Benfica: “O email surge numa altura em que Luís Filipe Vieira estava castigado. A taça alusiva à conquista do campeonato ia ser entregue no dia 20 de abril e o presidente do Benfica estava impedido de a receber, por isso queixou-se de perseguição e disse que estávamos a voltar aos tempos do Apito Dourado. Estava furioso comigo e com a Liga”.

A mensagem em questão foi revelada pelo diretor de comunicação do FC Porto na passada terça-feira, como o Observador já tinha dado conta. A transcrição é do jornal O Jogo, que teve acesso aos emails:

De: Mário Figueiredo

Para: Luís Filipe Vieira

Data: 02/04/2014

Caro Luís, seguem em anexo as declarações do António Salvador feitas no final jogo com o Rio Ave e o cumulação [comunicado?] do Braga a seguir ao jogo. Ouve bem, pf [por favor]: não fala em roubo nem faz acusações genéricas…Pf tem calma que sempre tenho estado e estive do TEU LADO”

A resposta do presidente do Benfica (se a houve) não foi divulgada, Francisco J. Marques só deu conta do reencaminhamento da mensagem original, nesse mesmo dia, por parte de Luís Filipe Vieira para o assessor jurídico Paulo Gonçalves: “Ainda querem me fazer atrasado mental?”

Benfica mantém confiança em Paulo Gonçalves

Já sobre a troca de mensagens entre Paulo Gonçalves e Nuno Cabral, antigo árbitro da terceira categoria que foi até 2016 delegado da Liga e que, desde terça-feira passada, segundo o jornal A Bola, se tem mantido incontactável e até já apagou a conta de Facebook, onde “tinha fotos da filha com o cachecol do Benfica”, Mário Figueiredo também garante que não há assunto. Apesar da notória bajulação do ex-delegado, que de acordo com O Jogo terá organizado várias excursões da Casa do Benfica de Vila Real ao Estádio da Luz, ao assessor jurídico encarnado:

De: Nuno Cabral

Para: Luís Filipe Vieira e Paulo Gonçalves

Data: 31/03/2014

Caríssimo Presidente e Dr. Paulo. Para vosso conhecimento e análise [em anexo seguiam seis documentos a que o jornal não teve acesso]

De: Paulo Gonçalves

Para: Nuno Cabral

Data: 31/03/2014

Bom trabalho. Excelente!

De: Nuno Cabral

Para: Paulo Gonçalves

Data: 31/03/2014

Obrigado Amigo Dr. Apenas quero ser um “menino” querido para vocês e fazer bem o meu trabalho. E que o homem confie em mim tal como o Dr.”

Sobre os outros emails que Nuno Cabral terá enviado ao assessor do Benfica, em junho de 2014 — um com a convocatória enviada a 15 árbitros para participarem no Curso de Formação de Elite de Árbitros de Futebol Nível 3 em anexo e a mensagem “Destes 15 vão 12 a estágio para o próximo ano”; outros com queixas do delegado por não ter sido ainda chamado a fazer jogos da liga principal –, Mário Figueiredo também diz que não há assunto. “Na altura estávamos em contenção de custos, por via do alargamento. Nuno Cabral foi a onze jogos a Chaves porque era de Vila Real, que fica a 60 km de Chaves. Foi esse o critério…”, explicou ao Record. O Jogo reproduziu a troca de correspondência em questão:

De: Nuno Cabral

Para: Paulo Gonçalves

Data: 29/01/2014

Amigo Dr. 3 dos delegados dos jogos da polémica da Taça da Liga estão nomeados. Sou o único delegado até ao momento que não fiz I Liga.

De: Paulo Gonçalves

Para: Mário Figueiredo

Data: 29/01/2014

Mário. A ser verdade, será que o homem é feio ou incompetente? É o único delegado que ainda não fez nenhum jogo da I Liga e já foi nomeado 11 vezes para Chaves (qualquer dia vai ser treinador do Chaves… Eh eh eh eh)

De: Mário Figueiredo

Para: Paulo Gonçalves

Data: 29/01/2014

Paulo, só tu para me fazeres rir um bocado. Ele está pronto? Vem fazer um jogo aqui ao Porto? Só tens que dizer…”

Paulo Gonçalves, o homem que há uma década presta assessoria ao clube da Luz para os assuntos legais, é o principal implicado neste segundo lote de emails revelados pelo diretor de comunicação portista, mas o Benfica mantém a confiança no funcionário: “Não tem qualquer sentido colocar-se em causa Paulo Gonçalves. Obviamente, merece toda, total, inequívoca e absoluta confiança da direção. Congratulamo-nos com todas as investigações que contribuam para um cabal esclarecimento da verdade”, disse esta quarta-feira fonte oficial. Já o jornal A Bola fez as contas ao número de vezes em que Nuno Cabral foi delegado em jogos da Primeira Liga desde a supracitada troca de emails: 15, entre 20 de abril de 2014 e 24 de abril de 2014 — dois com o Benfica.

O caso do filho de Adão Mendes

Parte das mensagens que implicam Paulo Gonçalves dizem respeito ao filho de Adão Mendes, Renato. De acordo com A Bola, enquanto Adão foi vice-presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Braga, Renato Mendes chegou a ser declarado o melhor árbitro distrital da associação (2010/2011). Depois disso, diz o desportivo, que cita um quadro superior da Associação de Futebol de Braga, Renato terá sido vetado pelos árbitros locais e acabado por passar para a Associação de Futebol de Viana do Castelo: “Os árbitros de Braga não mostraram confiança no seu trabalho e exigiram a sua demissão”. O pai, Adão, terá tentado que o assessor jurídico benfiquista usasse da sua influência, em 2014, para ajudar o filho, comprovam os emails divulgados pelo jornal O Jogo:

De: Adão Mendes

Para: Paulo Gonçalves

Data: 23/09/2014

Anexo 3 documentos que explicam o que preciso de si. Peço que ponha a carne toda no assador como eu ponho todos os dias por nós. Se precisar algo mais diga via email ou telefone. Caso interfiram preciso recurso C. Justiça. Sei que consigo vamos ganhar.

De: Paulo Gonçalves

Para: Adão Mendes

Data: 23/09/2014

Caro Adão Mendes, amanhã de manhã tentarei pessoalmente explicar a razão que assiste ao árbitro e a incongruência e falta de fundamento para a não aceitação do DVD conforme vai ser apresentado. Se depender de mim… Depois digo-lhe algo.

De: Adão Mendes

Para: Paulo Gonçalves

Data: 23/09/2014

Anexo remeto relatório do observador, onde pode ler-se que dava 3.7 se não fosse o tal lance de G. Penalidade. Oportunamente vou enviar-lhe vídeo do jogo para verificar o erro e a perseguição.

De: Adão Mendes

Para: Paulo Gonçalves

Data: 29/09/2014

Caro Doutor: a CAR [Comissão de Análise e Recurso] rejeitou novamente o recurso do Renato. Considera ter êxito o recurso para o C.J. [Conselho de Justiça] da FPF? Está em condições de assumir isso? Custos são da minha responsabilidade. Entretanto enviei recurso para o presidente do C.A. [Conselho de Arbitragem, à data Vítor Pereira] e para o plenário do C.A. O V.P. pode ser solução… antes do recurso!?.

De: Paulo Gonçalves

Para: Adão Mendes

Data: 29/09/2014

Amigo, eu não posso patrocinar o recurso para o Conselho de Justiça. Dominando a regulamentação desportiva relacionada com a arbitragem e próxima do C.A. tem a Dra. Isabel Cunha. Ela é próxima do Paulo Costa [à data vice-presidente do C.A.] — o que não sei se para si é impedimento. Vou pensar melhor e fazer uns contactos e amanhã falamos.

De: Adão Mendes

Para: Paulo Gonçalves

Data: 30/09/2014

Eu e a Drª Isabel Costa somos amigos. A questão é ser o glorioso a ‘apadrinhar’ a questão e não alguns anticristos. Temos de ganhar isto e eu sei que se o Dr. puser a carne toda ganhamos isto. O chefe está comigo para tudo.”

Com o caso em investigação por parte do DCIAP e com a emissão seguinte de Universo Porto de Bancada marcada para a próxima terça-feira, no Porto Canal, aguardam-se agora os emails dos próximos capítulos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: tpereirinha@observador.pt
António Costa

Pelos caminhos de Portugal

Paulo Tunhas

António Costa acha que “este ano foi particularmente saboroso para Portugal”. Houve, é verdade, os mortos dos fogos, houve Tancos, houve o caso da Raríssimas. Mas que importa isso?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site