Logo Observador
Justiça

Depois dos juízes, funcionários também ameaçam greve

Funcionários judiciais dão ao Governo 10 dias para apresentar proposta de revisão dos estatutos. Caso contrário, avançam para greve. Juízes fizeram a mesma ameaça. Tutela diz que está a ser finalizado

PAULO NOVAIS/LUSA

Funcionários judiciais dão ao Governo dez dias para apresentar proposta de revisão dos estatutos. Caso contrário, avançam para greve, avança esta sexta-feira o Diário de Notícias. Juízes e Ministério Público já tinham feito a mesma ameaça. Tutela diz que documento está a ser “finalizado”, mas sindicato dos funcionários judiciais diz que já espera alterações desde março.

Esta é já a terceira ameaça de greve que a ministra da Justiça enfrenta por causa do atraso na revisão dos estatutos. Primeiro foram os juízes, depois o Ministério Público, e agora o sindicato dos funcionários judiciais. “Apesar de não querermos ter atitudes tão drásticas como a dos senhores magistrados, a verdade é que desde março que a ministra nos prometeu entregar a proposta de alteração dos nossos estatutos e até agora nada”, disse àquele jornal Fernando Jorge, presidente do sindicato.

Do lado do Governo, Ministério da Justiça diz que documento está a ser finalizado “mas ainda não está completo”. O prazo prometido pela atual ministra, Francisca Van Dunem, foi final de maio, sendo que a revisão dos estatutos já estava prometida desde que foi feita a reformado sistema judicial, em 2014. “Estamos a ser pacientes mas daqui a uma semana, máximo dez dias, teremos de nos reunir para saber o que fazemos”, disse.

Em causa está a revisão das regras da progressão na carreira, remunerações e normas ou sanções disciplinares.

Juízes não descartam hipótese de greve

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rdinis@observador.pt