Incêndios

Incêndio em Castelo Branco está a ser combatido por 120 bombeiros e três meios aéreos

Um incêndio florestal que deflagrou hoje em Monforte da Beira, Castelo Branco, às 14h45, está a ser combatido às 15h30 por 120 bombeiros, 30 viaturas e três meios aéreos.

O alerta para o fogo foi dado às 14h14. Terá deflagrado na freguesia de Monforte da Beira, numa zona de mato e de azinhal, em plano parque natural do Tejo Internacional

FILIPE FARINHA/LUSA

Um incêndio florestal que deflagrou hoje em Monforte da Beira, Castelo Branco, às 14h14, está a ser combatido às 15h30 por 120 bombeiros, 30 viaturas e três meios aéreos, disse fonte da Proteção Civil.

À agência Lusa, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Castelo Branco explicou que estão ainda a ser mobilizados meios para o combate ao incêndio, que decorre numa zona do Parque Natural do Tejo Internacional.

Segundo a mesma fonte, às 15h30 encontravam-se no terreno 120 bombeiros e 30 viaturas de várias corporações de bombeiros do distrito de Castelo Branco e três meios aéreos, um helicóptero ligeiro e dois aviões pesados.

O alerta para o fogo foi dado às 14h14. Terá deflagrado na freguesia de Monforte da Beira, numa zona de mato e de azinhal, em plano parque natural do Tejo Internacional.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Incêndios

A estética da paisagem e a poesia da natureza

António Covas

Os agricultores foram convencidos de que eram uns labregos. A política foi de desprestígio do mundo rural com base a ideia de que era inferior ao mundo urbano. Vale pois a pena evocar Ribeiro Telles. 

Incêndios

O inferno passou por aqui!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Não basta que um governante não roube, nem mate, porque também por omissão pode faltar gravemente aos seus deveres, se não fizer o que devia ter feito.

Incêndios

O dr. Costa é mau demais para ser mentira

Alberto Gonçalves
232

O que não faz sentido é que o dr. Costa se julgue no direito de governar pessoas minimamente saudáveis ou de conviver com elas. Como não faz sentido que esta apatia com fronteiras se suponha um país.

ERC

O Imperador vai nu

Luís Reis
260

Carlos Magno usou a majestática influência que o seu nome contém para decidir sozinho em tema da maior gravidade. Infelizmente não o fez como um Carolus Magnus, antes como um autêntico Carolus Parvus.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site