Vitória de Setúbal

Meyong vai integrar equipa técnica do Vitória de Setúbal

O ex-futebolista camaronês Meyong, que terminou a carreira no final da época, vai integrar a equipa técnica do Vitória Setúbal, liderada por José Couceiro.

O antigo avançado jogou no Vitória Setúbal durante 10 temporadas

ANTONIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O ex-futebolista camaronês Meyong, que terminou a carreira no final da época, vai integrar a equipa técnica do Vitória Setúbal, liderada por José Couceiro, anunciou esta sexta-feira o clube sadino na sua conta do Facebook.

MEYONG VAI INTEGRAR A EQUIPA TÉCNICA DO VITÓRIAO ex-futebolista Albert Meyong Ze, que terminou a carreira no final da…

Posted by Vitória Futebol Clube on Friday, June 16, 2017

“É o início de uma nova etapa na minha carreira enquanto desportista e vou abraçar este desafio com grande motivação. Agradeço à Administração da SAD e ao treinador José Couceiro a oportunidade que me deram”, afirmou Meyong, de 36 anos.

O antigo avançado jogou no Vitória Setúbal durante 10 temporadas e despediu-se dos adeptos vitorianos no último jogo da época 2016/17, realizado no Estádio do Bonfim, frente ao Boavista, a contar para a 33.ª e penúltima jornada da I Liga, antes do qual foi homenageado pela direção presidida por Fernando Oliveira.

Natural de Yaoundé, Meyong chegou ao Vitória Setúbal na época 1999/2000, então com 19 anos, proveniente dos italianos do Ravenna, e permaneceu no Bonfim durante seis temporadas.

Posteriormente, representou o Belenenses, os espanhóis do Levante e do Albacete, o Sporting de Braga, voltou ao Vitória de Setúbal em 2011/12, antes de cumprir três épocas em Angola, entre 2013 e 2015, ao serviço do Kabuscorp, para voltar em definitivo ao Bonfim em 2015/16.

Campeão olímpico pela seleção dos Camarões em Sydney2000, Meyong foi o melhor marcador da Liga portuguesa em 2005/06.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
IPSS

Raríssimas, uma história de subdesenvolvimento

Helena Garrido

Num país desenvolvido as instituições teriam funcionado e a Casa dos Marcos teria sido fiscalizada. Nenhum país enriquece sendo como vimos que Portugal é no caso Raríssimas. Enriquecem algumas pessoas

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site