Logo Observador
Festival Eurovisão da Canção

Um mês depois da Eurovisão, Salvador Sobral põe cidade do norte rendida ao jazz

Um mês depois de ter vencido o Festival Eurovisão da Canção, o músico Salvador Sobral deu um concerto em Fafe, onde pôs o público, com mais de 1.300 pessoas, rendido à sua voz e ao jazz.

OCTÁVIO PASSOS/LUSA

Um mês depois de ter vencido o Festival Eurovisão da Canção, o músico Salvador Sobral deu um concerto em Fafe, onde pôs o público, com mais de 1.300 pessoas, rendido à sua voz e ao jazz.

O concelho de Fafe, distrito de Braga, tem pouco mais de 50 mil habitantes. Esta sexta-feira foram cerca de 1.300 os que rumaram ao Pavilhão Multiúsos para ver e ouvir Salvador Sobral, num concerto inserido no festival Rock With Benefits.

O músico subiu ao palco às 22h20, acompanhado por Júlio Resende ao piano, André Rosinha no contrabaixo, e Bruno Pedroso na bateria.

Cerca de uma hora e meia depois, toda a sala cantava “Amar pelos dois”, canção que Salvador partilhou com um artista de palmo e meio, que subiu ao palco.

Pelo caminho, o músico queixou-se do calor que se fazia sentir na sala e brincou com o facto de as pessoas terem criado leques a partir de folhas de papel, para se abanarem.

Depois de elogiar “uns grandes filetes de polvo” que comeu, o artista pediu aos presentes para apreciarem a música e deixarem os telemóveis no bolso.

Estou a fazer muitas exigências, mas ganhei a Eurovisão, posso fazê-las”, disse, arrancando uma gargalhada ao público.

Sobral cantou em português, inglês e castelhano, e terminou o concerto ao piano, deixando antes uma mensagem política relativa à crise na Venezuela. Para a organização, esta “foi sem dúvida nenhuma uma aposta ganha”.

“Pusemos o Multiúsos todo a ouvir jazz em Fafe, o que por si só já é um feito histórico”, disse à agência Lusa o fundador do festival, Gonçalo Vieira de Castro.

Como este é um evento de beneficência, em que parte dos lucros vai reverter a favor de um batismo de voo de 30 meninos e meninas do Lar da Criança de Revelhe, que deverá acontecer “no início de julho”, avançou o organizador.

A 14 de maio, Portugal ganhou pela primeira vez o Festival Eurovisão da Canção, com “Amar pelos dois”, uma música de Luísa Sobral, interpretada pelo irmão.

Ana Carolina Silva, de 23 anos, e Conceição Costa, de 49, não quiseram perder a oportunidade de ver ao vivo aquele que trouxe para o país o troféu da Eurovisão.

“Não conheço bem o trabalho do Salvador e achei que era interessante ficar a conhecer. É um tipo de música que até gosto e é bom [ele] vir à nossa cidade”, disse Carolina à Lusa.

“Não é muito normal termos aqui estes eventos, é bom promover este tipo de coisas em cidades mais pequenas”, apontou a estudante de medicina.

Já Conceição Costa contou à Lusa que ficou rendida ao artista na primeira vez que o ouviu, advogando que “o Salvador é a delicadeza em pessoa”.

“Gosto muito da atitude que ele tem […]. O Salvador representa o início de uma nova era, espero eu, que é nós começarmos a valorizar as coisas pelo sentido que elas têm, ou seja, pela simplicidade, pela profundidade”, elencou.

Hoje à noite, o vencedor da Eurovisão irá atuar na Póvoa de Varzim, no domingo estará nas festas do município de Ourém, e a 24 de junho ruma a Albufeira.

Já a 2 e 3 de julho, Salvador Sobral estará no Centro Cultural de Belém (Lisboa), e a 5 e a 18 subirá ao palco da Casa da Música, no Porto, rumando depois a Coimbra e a Braga.

A 13 de julho, o cantor vai atuar, acompanhado pelo pianista Júlio Resende, no âmbito do festival Super Bock Super Rock, em Lisboa, com o projeto Alexander Search, sobre Fernando Pessoa.

Segundo a sua página na rede social Facebook, ainda em julho o artista passará por Odemira (dia 14), Castelo Branco (15), Tavira (21) e Vila Real (29).

Também o regresso a Fafe e ao Rock With Benefits ficou prometido no final do concerto, porém noutra sala. A organização avançou à Lusa que “em princípio” o artista fará parte do cartaz do festival, que decorre no Teatro-Cinema de Fafe a 1, 2 e 3 de dezembro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt