Media

NBC vai transmitir entrevista com apresentador que diz que tiroteio de Sandy Hook foi um “embuste”

Alex Jones, fundador do site InfoWars, é conhecido por defender teorias da conspiração e já disse que o tiroteio na escola primária de Sandy Hook foi um embuste. Entrevista com NBC atrai polémica.

Apesar de ter recebido vários pedidos em contrário, a NBC News vai manter a sua decisão de transmitir a entrevista que a jornalista Megyn Kelly fez ao fundador do site InfoWars, Alex Jones, conhecido por veicular várias teorias da conspiração e por apoiar Donald Trump. Em tempos, Alex Jones defendeu que o tiroteio que onde morreram 26 pessoas (entre as quais 20 crianças) numa escola primária no Connecticut, em 2012, foi um “embuste” e parte de uma encenação com atores.

Alguns dos pedidos para que a entrevista não vá para o ar têm partido dos pais da crianças que morreram na escola de Sandy Hook. No Twitter, Nelba Márquez-Greene, cuja filha, Ana Grace, de 6 anos, morreu no tiroteio de 14 de dezembro de 2012, escreveu um post onde se dirigia à jornalista da NBC News: “Olá, Megyn Kelly. Diga-me se vai dar o mesmo tempo de antena às vítimas. Promover este palerma é mau jornalismo. Não encoraje os abusos dele”.

Posteriormente, Nelba Márquez-Greene publicou um texto no Washington Post, onde explicou que depois daquele tweet voltou a ser alvo de mensagens insultuosas de outras pessoas que também acreditam que o tiroteio de Sandy Hook foi um “embuste”. “Os negacionistas da tragédia causam uma dor incalculável às famílias que passaram por perdas catastróficas e públicas” escreveu. “Interrompem o processo de luto, que é interminável. Às vezes, ameaçam a sua saúde física e segurança. Eu nem vou descrever a dor que é receber ameaças de morte e assédio em cima do dor de ter perdido uma membro da família. Cinco anos depois do tiroteio de Sandy Hook, recebemos e-mails semanalmente a sugerir que a nossa filha não morreu. Ou que o Presidente Barack Obama esteve por trás da morte dela.”

Num excerto da entrevista divulgado por Megyn Kelly na sua conta de Twitter, Alex Jones fala da sua opinião sobre o que se passou em Sandy Hook. “É complexo, porque tive debates com advogados do diabo e disse que a história é toda verdadeira e estive em debates onde eu disse que nada é verdade”, disse. “Eu olhei para todos os ângulos de Newtown e falei muito antes de os media sequer pegarem no assunto.”

Ao longo dos anos, Alex Jones tem dito claramente que o tiroteio onde morreram 20 crianças foi encenado. Num programa de 13 de janeiro de 2015, disse que “Sandy Hook é uma mentira, com atores, sintética e fabricada, na minha opinião”. “Ao início eu também não acredita nisto. Eu sabia que havia atores lá, claramente, mas pensava que tinham matado miúdos a sério. E isso só demonstra o quão decididos eles são, que claramente usaram atores.” No mesmo programa disse que “eles”, sem especificar, chegaram a usar fotografias de crianças mortas na Turquia e no Paquistão para ilustrar o massacre de Sandy Hook. “O céu é o limite”, disse.

Alex Jones divulga chamada de Megyn Kelly antes da entrevista

Pouco depois de Megyn Kelly ter divulgado aquele excerto da entrevista, o próprio Alex Jones juntou-se ao coro de vozes que pedem para que a entrevista não vá para o ar. Segundo o próprio, a jornalista da NBC News, que ficou conhecida depois de ter o seu programa na Fox News durante 13 anos, montou-lhe uma “armadilha”. “Eles estiveream aqui desde as 9h30 da manhã até às 11 da noite. E a Megyn Kelly mentiu-me algumas semanas antes de vir, disse que a entrevista não ia ser sobre Sandy Hook e o tiroteio lá”, disse o fundador do InfoWars.

Esta sexta-feira, Alex Jones divulgou o que diz ser uma gravação de conversas que teve com Megyn Kelly, por telefone e antes da entrevista. “O meu objetivo é que os meus ouvintes e a esquerda vejam a NBC e digam ‘uau, isto foi mesmo interessante'”, terá dito a jornalista. “Não vai ser uma peça do tipo ‘foste apanhado!’, eu prometo-te, isso não me serve para nada.”

Além dessas gravações, Alex Jones disponibilizou ainda o áudio do que diz ser a entrevista que concedeu a Megyn Kelly, sem qualquer tipo de edição.

NBC e jornalista justicam decisão de manter entrevista

Apesar dos apelos para que a entrevista não vá para o ar, e também a desistência de pelo menos um anunciante (o banco JPMorgan Chase), a NBC News vai continuar a transmitir o programa neste domingo, 18 de junho, que nos EUA é dia do pai. “Apesar dos esforços de Alex Jones para criar distrações e, no fundo, prevenir a transmissão da nossa reportagem, nós mantemos o nosso compromisso de dar contexto e uma visão para uma figura controversa, como é que ele se relaciona com o Presidente dos EUA e influencia outros”, escreveu a cadeia televisiva num comunicado.

Também Megyn Kelly emitiu um comunicado, um dia depois de ter publicado o excerto da entrevista. “A sugestão de Alex Jones de que Sandy Hook foi um ‘embuste’ é tão revoltante para mim como é para qualquer pessoa racional”, escreveu. “O nosso objetivo era o de nos sentarmos com ele e de projetarmos luz — como os jornalistas devem fazer — sobre esta figura controversa e, sim, para discutir as falsidades que ele tem promovido, praticamente com impunidade.” Além disso, Megyn Kelly refere as ligações que Alex Jones tem a Donald Trump e à Casa Branca, que lhe concedeu recentemente uma credencial de imprensa.

O elogio público de Trump a Alex Jones, um homem de conspirações

Alex Jones é uma figura conhecida nos setores mais radicais da direita norte-americana, nomeadamente na Alt-Right, já entrevistou Donald Trump em direto, quando este ainda era candidato às primárias do Partido Republicano. Além de dizer que Sandy Hook foi um “embuste”, Alex Jones também garante que os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 foram planeados de “dentro” da Casa Branca e acusou Hillary Clinton de operar uma rede de pedofilia e de tráfico de seres humanos em torno de um restaurante de pizzas em Washington D.C. — acusação que, mais tarde, Alex Jones viria a retirar.

Em dezembro de 2015, enquanto entrevistava o então candidato, Alex Jones disse-lhe que o que estava a fazer era “épico”. Donald Trump respondeu-lhe: “A sua reputação é ótima. Não o vou desiludir”. Mais tarde, no dia seguinte à vitória de Donald Trump nas presidenciais, Alex Jones disse que recebeu um telefonema do Presidente eleito, onde este lhe terá agradecido o apoio — mas nem Donald Trump nem a sua equipa confirmam que tal chamada tenha acontecido.

“Ele agradeceu-me por lutar tanto pelos americanos, pela americanidade, e agradeceu aos ouvintes e apoiantes e disse que estava cheio de trabalho”, disse Alex Jones numa entrevista.

Newtown. Será possível esquecer o dia em que 20 crianças foram mortas a tiro na escola primária?

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jadias@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site